A juventude conduziu o Athletico na vitória por 1×0 sobre o Internacional, no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (11), na Arena da Baixada. O garoto Khellven, de apenas 18 anos, e Bruno Guimarães foram os destaques do Furacão.

+ CONFIRA COMO FOI A VITÓRIA DO FURACÃO SOBRE O INTER

Khellven não sentiu a pressão e partiu para cima do Colorado. Parecia estar em um jogo de categoria de base. A todo momento fugia da marcação e surgia como opção para cruzamentos ou para infiltrar a bola na área. Como todo menino, oscilou em alguns momentos, cometendo erros, mas sempre aparecendo, principalmente em velocidade.

+ Veja as fotos do primeiro jogo da final da Copa do Brasil

Já Bruno Guimarães foi o nome do jogo. A todo momento, a bola passou por seus pés, e os erros no toque eram mínimos. Cadenciou a partida quando precisava e também munia o ataque, ora com passes, ora com ele mesmo aparecendo como opção na entrada da área. Isso por si só já o destacou. Até que ele passou para o status de melhor em campo, mostrando seu oportunismo e tranquilidade para concluir a gol e garantir a vitória do Rubro-Negro.

+ Relembre personagens do nosso futebol em mais um episódio do Podcast De Letra!

Márcio Azevedo falhou na marcação e errou muitos passes na final. Foto: Albari Rosa
Márcio Azevedo falhou na marcação e errou muitos passes na final. Foto: Albari Rosa

Por outro lado, o zagueiro Robson Bambu e o lateral-esquerdo Márcio Azevedo deixaram a desejar. O defensor, um dos grandes nomes no triunfo sobre o Grêmio, na semifinal, dessa vez falhou muito. Errou muitos passes, deu espaço para o adversário e fez a torcida atleticana passar alguns sustos.

Márcio Azevedo também deixou uma avenida na esquerda. Também errou passes, pouco ajudou na frente e teve como destaque apenas um chapéu que deu no marcador, no primeiro tempo, seguido de um chute totalmente sem direção. Tanto que foi pouco acionado na etapa final, quando o Athletico optou por arriscar mais pela direita.