Wellington Silva inicia hoje mais uma tentativa para ganhar a camisa 9 do Paraná Clube. Apesar da temporada marcada, até aqui, por insucessos, ele segue com a marca de artilheiro do clube, com 9 gols.

Ele já viveu situação parecida há quase um mês. No jogo contra a Portuguesa (03\07), ele foi escalado pela primeira vez pelo então técnico Zetti como titular. Teve um comportamento muito bom ao longo dos 19 minutos em que esteve em campo.

Um estiramento muscular o tirou do time e somente na rodada passada ele reapareceu no banco de reservas, entrando na equipe aos 30 minutos da fase final.

“Espero que essas lesões sejam coisa do passado. Preciso de uma sequência para me firmar”, disse Wellington Silva. Com bom porte físico, atuará pela primeira vez no 3-5-2, sendo municiado pelos dois alas. “Isso pode me ajudar. Com lançamentos pelos dois lados, fica mais fácil pressionar a defesa adversária”, justificou.

Para Wellington, o jogo passado – derrota por 3×1 para o ABC – serve de modelo para aquilo que a equipe deve fazer hoje. “Temos que jogar como o ABC. Fechadinhos lá atrás e saindo em velocidade. Se não errarmos nesse posicionamento, temos grandes chances de arrancar uma vitória”, ponderou.

Na prática, Sérgio Soares espera repetir aquilo que a equipe produziu contra o então líder Guarani, onde conseguiu anular as descidas do adversário e chegou à frente de forma contundente. “Temos que ter volume de jogo, sabendo explorar o nervosismo deles”, arrematou WS, lembrando a série de oito rodadas sem vitória do time fluminense.