Com sete gols em 10 partidas no ano, Herrera parece ter deixado para trás a fama que carregou por boa parte da sua carreira: a de ter dificuldades em fazer gols. Mesmo com o bom momento vestindo a camisa do Botafogo, o argentino prefere manter os pés no chão e manter a cautela.

“Estou contente por este inicio, mas não muda nada para mim. Estou fazendo meu trabalho como sempre fiz. Tenho os pés no chão. Futebol é competitivo, temos que manter um equilíbrio. Não dá para achar que quando fazemos gols tudo está perfeito e nem o contrário”, disse Herrera, ao site oficial do Botafogo.

Mesmo vindo do banco de reservas em alguns jogos e de ter como parceiro de ataque o uruguaio Loco Abreu, homem de área da equipe, Herrera mantém uma média de 0,7 gols por jogo e é o vice-artilheiro do Campeonato Carioca, atrás apenas de Alecsandro, do Vasco, que balançou as redes duas vezes mais. Para o argentino, o que vale é a regularidade.

“Isso da média é relativo. Às vezes fazemos muitos gols num jogo e nem marcamos em outro, então não ligo muito para isso”, disse ele, que acha que o ataque do Botafogo, o melhor do Campeonato Carioca, ainda precisa evoluir. “A gente pode melhorar muito ainda”, garantiu.