Fernando Alonso segue com o futuro incerto como piloto da Ferrari. Embora tenha contrato com a equipe até dezembro de 2016, o espanhol se negou a descartar de forma categórica, nesta quinta-feira, em Suzuka, a sua saída da escuderia na próxima temporada da Fórmula 1. Em tom enigmático, o bicampeão mundial disse que será a própria equipe italiana é que definirá seu destino na categoria, que terá a disputa do GP do Japão neste domingo.

No início do mês passado, Alonso chegou a dizer que não pretendia deixar a Ferrari em 2015, mas no dia seguinte surpreendeu ao afirmar que ainda negociava a sua permanência no time de Maranello. Rumores dão conta de que ele estaria insatisfeito com sua atual situação na equipe e, nesta quinta-feira, ao ser questionado em entrevista coletiva se poderia ir para McLaren ou Red Bull no próximo ano ou em 2016, o piloto disse que “essa era uma pergunta muito difícil de responder”.

Sem garantir a sua própria permanência até o fim do seu atual contrato, o espanhol afirmou que “fará o melhor pela Ferrari”, mas ao mesmo tempo enfatizou que “tem sorte de poder escolher a equipe onde irá correr”.

Atual quarto colocado do Mundial de F1, Alonso está na Ferrari desde 2010, ano em que foi vice-campeão, assim como aconteceu em 2012. Desde 2013, porém, vem sofrendo muito para obter resultados expressivos com a equipe, que neste ano ainda viu a Mercedes se tornar a grande força da atualidade, após quatro títulos seguidos conquistados por Sebastian Vettel na Red Bull, antes a principal adversária do time italiano.

Em meio a este cenário, Alonso assegura que “sempre colocou o interesse da Ferrari à frente do interesse pessoal”, garantindo nesta quinta-feira que está focado e motivado para atingir o “máximo” possível de feitos com a equipe. “A minha primeira prioridade é estar na pista para ajudar a equipe, e minha segunda prioridade será meu futuro, se houver algo a ser discutido”, enfatizou.