enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Curitiba

Curitibana grávida está entre os desaparecidos da tragédia de Brumadinho

Fernanda estava hospedada em uma pousada que ficou soterrada pela lama. Fotos: Reprodução/Facebook
Maria Luiza Piccoli

Amigos e conhecidos da curitibana Fernanda Damian, 30, oficialmente dada como desaparecida desde a última sexta (25), após a tragédia no município mineiro de Brumadinho, buscam – por meio das redes sociais – compartilhar o máximo de informações a respeito da jovem na tentativa de ajudar nas buscas pela moça.

Hospedada na cidade desde o dia 10, a jovem acompanhava o noivo, o arquiteto paulistano Luiz Taliberti, 31, numa viagem em família cujo objetivo era conhecer o Instituto Inhotim – famoso museu a céu aberto com importante acervo de arte contemporânea, localizado no município palco da tragédia.

+Leia mais: Bombeiros do Paraná vão a Minas para ajudar nos trabalhos em Brumadinho

Ao lado da família de Luiz, Fernanda estava hospedada numa pousada que, após o rompimento da barragem ficou totalmente soterrada sob 8 metros de lama, segundo informações repassadas à Tribuna do Paraná por uma amiga íntima da moça, que preferiu não ser identificada.

Grávida de 4 meses, a curitibana viajava ao lado do noivo, do sogro (Adriano Ribeiro da Silva), da cunhada (Camila Taliberti) e da esposa de Adriano, Maria de Lurdes Bueno. O objetivo da viagem, segundo a amiga da jovem, seria a celebração do noivado dela com Luiz, já que ambos residem na Austrália e passavam férias no Brasil. “Eram os últimos dias deles aqui. Saindo de Minas eles já retornariam para a Austrália. A ideia era passar esses dias com a família para decidir como seriam as celebrações do casamento e do chá de revelação do bebê que Fernanda esperava”, disse.

Fernanda-Damian

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A Tribuna do Paraná tentou contato com a família de Fernanda sem retorno. Conforme a amiga da moça, todos estão “em estado de choque”, porém o pai dela, Joel Justino de Almeida, 59, se deslocou até Brumadinho para acompanhar as buscas pela jovem e pela família do noivo. Até agora, nenhum deles foi encontrado.

Considerada a maior tragédia ambiental da história do país, o rompimento da barragem da mineradora Vale, em Brumadinho (MG), aconteceu na tarde da última sexta-feira (25). Segundo última atualização da Defesa Civil do município, localizado a cerca de 65 km de Belo Horizonte, a tragédia já contabiliza 60 mortos e 292 desaparecidos.

LEIA MAIS sobre a tragédia em Brumadinho:

Sexta (25)

Assista o vídeo com as primeiras imagens da tragédia e o trabalho dos Bombeiros

Vale divulga lista com desaparecidos; Familiares fazem buscas por conta própria

Sábado (26)

Bolsonaro após sobrevoar Brumadinho: “Difícil ficar diante desse cenário e não se emocionar”

Domingo (27)

Corpo de Bombeiros dá alerta de evacuação para 4 zonas de risco

Com risco de romper, barragem 6 da Vale tem até 4 mi/m3 de capacidade

Secretário de Guedes pede ajuda de startups para Brumadinho

Agência detectou 54 barragens no Brasil de água com problemas de infraestrutura

Israel diz que delegação de 130 homens e mulheres está a caminho de Brumadinho

Depois de sobrevoar Brumadinho, Bolsonaro se interna para retirar bolsa de colostomia

Segunda-feira (28)

‘Tenho de dar graças a Deus de conseguir enterrar o corpo, diz mulher de vítima

Justiça trabalhista em MG determina bloqueio de R$ 800 milhões da Vale

Caso de Brumadinho pode se tornar o pior acidente de trabalho do País. Já são 60 mortos!

Militares de Israel vão usar detectores de calor

No 4º dia de buscas, 280 bombeiros atuam em Brumadinho

Caso de mulher morta por amiga no Natal tem reviravolta com conclusão de laudo

Sobre o autor

Maria Luiza Piccoli

Maria Luiza Piccoli

Deixe um comentário

avatar

10 Comentários em "Curitibana grávida está entre os desaparecidos da tragédia de Brumadinho"


Pabllo Vittar
Pabllo Vittar
4 meses 19 dias atrás

Sair da Austrália e voltar morrer no Bostil

João Silva
João Silva
4 meses 26 dias atrás

Segundo O Estadão essa moça estudava na Austrália e veio passar férias no Brasil. Jovem, bonita, inteligente e grávida… Saiu de um país de primeiro mundo e veio para esta pocilga… Veja no que deu, agora é apenas mais uma vítima de um sistema incompetente e corrupto! Lamentável!

Lasca Denovo
Lasca Denovo
4 meses 26 dias atrás

A empresa que matou ela é australiana. O país de onde ela veio. País de primeiro mundo.

Carolina Prestes
Carolina Prestes
4 meses 27 dias atrás

Olha, TODAS as informações desta matéria estão erradas! Como jornalista que sou (e conhecida da família), acredito que seria interessante a averiguação da fonte e informações antes de uma publicação dessas…

Sandro NUNES CHAGAS
Sandro NUNES CHAGAS
4 meses 26 dias atrás

yoga fire yoga flame

Eduardo Luiz Klisiewicz
Eduardo Luiz Klisiewicz
4 meses 26 dias atrás

As informações foram repassadas por um famíliar da própria Fernanda. Se você quiser colaborar com seu depoimento, pode entrar em contato com a gente. jornalismo@tribunadoparana.com.br

Sandro NUNES CHAGAS
Sandro NUNES CHAGAS
4 meses 26 dias atrás

Aproveitando a oportunidade. Não estou conseguindo comentar nas matérias só nas matérias dos caçadores de notícias. Já mandei e-mail da redação e nada. Pode me ajudar?

Rafael Pilha
Rafael Pilha
4 meses 27 dias atrás

Mais uma tragédia pra conta do PT ( Mariana e Brumadinho) uma sob o governo do Fernando Pimentel-PT e essa sob o secretário de meio-ambiente do Governo Petista que continuou no cargo este ano e que afrouxou as leis em 2017 . A Facção PT, quando não rouba, mata !

EU SOU GROOT
EU SOU GROOT
4 meses 27 dias atrás

Cara, nesta vida já encontrei muita gente doente mas você está cada dia pior.

Carlos Gomes
Carlos Gomes
4 meses 27 dias atrás

Complicado, pois esse status de desaparecida, a família fica na esperança de que possa aparecer viva, se não aparece é uma situação estranha de luto que trás mais dor, na pior das hipóteses espero que pelo menos achem o corpo dela e demais vítimas.

wpDiscuz
(41) 9683-9504