Atualmente tem surgido inúmeras estratégias de emagrecimento, que incluem dietas da moda e programas de exercício, porém muitas vezes elas falham por serem caras, exigirem um compromisso, necessitarem de uma quantidade de tempo significativo, ou por serem restritivas demais. Sendo assim, hoje eu trago uma revisão de quatro estratégias populares de perda de peso publicados em um estudo pela Universidade Louisville (EUA).

A primeira estratégia revisada foi a DIETA DETOX, que em geral compreende refeições feitas de sucos ou suplementos. Considera-se uma dieta severamente restritiva, sendo que algumas possuem somente 400 calorias por dia. Essas dietas duram normalmente de 2 a 21 dias e geram uma grande perda de peso, porém esse peso é basicamente água ou material fecal. Um dos problemas que essas dietas ocasionam é o aumento do cortisol, hormônio do estresse, que induz ao aumento do estresse, episódios de compulsão alimentar, e consequentemente o reganho de todo o peso.

O JEJUM INTERMITENTE é uma estratégia alimentar que ganhou grande popularidade nos últimos 2 anos, ele consiste em período de 16 horas a 48 horas de jejum seguidos de períodos de alimentação normal. A vantagem é que o jejum leva a alterações metabólicas como diminuição dos níveis de glicose, diminuição dos estoques de glicogênio, maior mobilização de gordura como fonte de energia, e também diminui a sensação de fome. Consequentemente as pessoas que fazem o jejum chegam a diminuir 25% da ingestão calórica quando comparada com a dieta inicial e é uma dieta que pode ser sustentável por muito tempo. Porém, um ponto contra o jejum, é que para algumas pessoas pode ser difícil de sustentar, até levar a episódios de compulsão alimentar, e quando comparada a dietas equilibradas com as mesmas quantidades calóricas, não há diferença no emagrecimento.

A DIETA PALEOLÍTICA é uma estratégia alimentar que se assemelha a alimentação dos homens das cavernas na idade da pedra. Ela caracteriza-se pelo consumo de alimentos não processados. A dieta paleo leva à perda de peso a curto prazo, melhora os perfis lipídicos e a sensibilidade à insulina. Mas ela também tem seus contras, como ser uma dieta cara, ter uma baixa ingestão de cálcio e para algumas pessoas os efeitos colaterais são sintomas de fraqueza, diarreia e dores de cabeça.

O HIIT é uma estratégia de treinamento físico que leva ao emagrecimento, a sigla HIIT significa treinamento intervalado de alta intensidade. São treinamentos aeróbios caracterizados por estímulos de alta intensidade seguidos por momentos de recuperação. As vantagens do HIIT são a redução do peso e a melhora da capacidade cardiorrespiratória. A desvantagem é que o HIIT não pode ser feito por todo mundo pela dificuldade de fazê-lo em alta intensidade.

Todas essas estratégias têm seus prós e seus contras, umas são melhores, outras perigosas para a sua saúde, algumas podem te levar ao reganho do peso ou a problemas mais sérios de saúde. A dica é sempre procurar um profissional para orientá-lo.

Não escolha apenas uma estratégia alimentar ou de exercício. O emagrecimento é multifatorial, sua estratégia tem que contemplar alimentação, exercício, mentalidade e comunidade de apoio, os quatro pilares do emagrecimento, assim como faço no Método Life4.

Referência

Obert, Jonathan & Pearlman, Michelle & Obert, Lois & Chapin, Sarah. (2017). Popular Weight Loss Strategies: a Review of Four Weight Loss Techniques. Current Gastroenterology Reports. 19. 10.1007/s11894-017-0603-8.

Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Instagram Compartilhe no Twitter Compartilhe a Tribuna