Um dos pacotes inclui a charmosa Morretes.
No detalhe, o barreado do tradicional
Restaurante Madalozo.

A Serra Verde Express transporta, em média, 110 mil passageiros por ano. Deste total, 16% são estrangeiros, sendo a maioria de franceses, alemães e ingleses. No Brasil, os turistas das regiões Sul e Sudeste são os mais assíduos, representando 60% do público brasileiro. Embora recomende o passeio, o curitibano representa apenas 9% do total geral de passageiros.

Para atender a públicos tão diferentes, entre mochileiros, grupos de terceira idade, jovens, famílias e estrangeiros, foram criadas três categorias de viagem de trem – popular, turística e executiva. Cada vagão tem um guia que orienta os turistas e, no caso de estrangeiros, é disponibilizado um profissional bilíngüe.

Os bilhetes de trem custam R$ 21 por pessoa na classe popular, R$ 37 na turística e R$ 65 na executiva. O passeio na litorina custa R$ 90. Com exceção da classe popular, nesses preços está incluído lanche (salgadinho, água e refrigerante).

Os trens partem todos os dias às 8h da Rodoferroviária de Curitiba, chegando a Morretes às 11h e retornando às 15h. Já a litorina, durante a baixa temporada, funciona somente sábados, domingos e feriados.

O trem e a litorina estão operando somente até Morretes, enquanto não são concluídas as obras na Estação Ferroviária de Paranaguá. A previsão é a de que o percurso completo (108 quilômetros, de Curitiba a Paranaguá) seja retomado em junho.

Pacotes

Para quem preferir um passeio mais completo, a Best Way Trips – agência de viagem da Serra Verde Express – oferece várias opções de pacotes, com preços e programações variadas. São eles:

– Santuário Nhundiaquara – Uma opção de passeio com descida de van pela Estrada da Graciosa em direção ao Santuário Nhundiaquara, em Morretes. Os visitantes podem usufruir de todas as opções que o complexo oferece: decks à beira do rio, trilhas, piscinas temáticas e toboáguas. No almoço, o público pode optar por barreado ou frutos do mar – dois pratos típicos da região.

– Morretes/Antonina – Os turistas podem conhecer os detalhes das cidades históricas. Aqueles que optarem pelo pacote poderão experimentar o típico barreado durante um almoço em restaurantes tradicionais. O roteiro inclui retorno a Curitiba pela Estrada da Graciosa, com duas paradas no caminho.

– Antonina/Escuna – O pacote inclui um passeio de escuna por Antonina. Para grupos mínimos de cinco pessoas, são oferecidos viagem de trem até Morretes, deslocamento até Antonina de van, tour nas duas cidades, almoço típico com barreado e uma volta no catamarã Dom Antônio, equipado com bar e banheiro. O retorno a Curitiba é feito de van, pela Estrada da Graciosa, com duas paradas.

– Paranaguá (city tour) -Outro pacote leva os turistas a um city tour por Paranaguá, onde é possível conhecer as casas históricas, o Museu do Índio e o mercado de peixes, além do artesanato e da culinária local.

Onde comer

Em Morretes, o barreado é servido em muitos restaurantes, tendo como acompanhamentos banana-maçã, arroz branco, farinha de mandioca e laranja e, para quem preferir, também frutos do mar. Um dos restaurantes mais tradicionais que servem a iguaria é o Madalozo, situado na Rua Almirante Frederico de Oliveira, 16. Atende pelo telefone (41) 462-1410, site www.madalozo.com.br.

Serviço – A Estação Ferroviária de Curitiba atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h30; aos sábados, das 7h às 20h e, aos domingos, das 7h às 12h. As reservas podem ser feitas pelo telefone (41) 323-4007, e-mail reservas@serraverdeexpress.com.br ou no ainda pelo site www.serraverdeexpress.com.br.
A jornalista viajou a convite da Serra Verde Express e da Secretaria Estadual de Turismo.