Após uma campanha mundial e seu sumiço repentino, o Google Glass pode estar de volta. Um registro legal – descoberto pelo site “Droid Life” – revela uma nova certificação pedida pelo Google à Federal Trade Commission (Comissão Federal de Comércio) dos Estados Unidos.

Os documentos seriam relativos a um aparelho eletrônico com transmissão wireless e que pode ser vestido e seriam o prenúncio da chegada de uma nova geração do Google Glass.

Eles dão detalhes sobre algumas características presentes no misterioso dispositivo, que atualmente tem um nome codificado: GG1, que remete justamente aos óculos.

Entre as particularidades técnicas, sabe-se que há uma bateria recarregável com um cabo USB que pode ser ligado ao computador, permitindo a transferência de dados.

A Google parou de vender seus óculos inteligentes em janeiro de 2015, transferindo a responsabilidade pelo projeto do laboratório de pesquisas Google X a uma unidade independente dirigida por Tony Fadell, chefe da divisão de casas “inteligentes” da Nest e um dos inventores do iPod.