Três assaltantes deram bastante trabalho a policiais militares do 12.º Batalhão na manhã de ontem, no Santa Quitéria. Depois do roubo, os bandidos voltaram à casa, onde funciona um escritório, porque haviam esquecido uma arma e, na fuga, foram surpreendidos pela PM.

Idivaldo Liel Lima de Freitas, que faz 30 anos na sexta-feira, foi ferido em confronto, e está internado em estado grave no Hospital do Trabalhador, sob escolta policial. Janderson Rogério Souza da Conceição, 23 anos, está preso da Delegacia de Furtos e Roubos e o terceiro conseguiu fugir.

Segundo o soldado Jurair, do 12.º BPM, os bandidos chegaram ao escritório, na Rua Major França Gomes, num Uno branco. De acordo com um funcionário, os bandidos renderam a empregada, por volta de 9h, e invadiram a casa fazendo reféns quatro pessoas.

“Eles apontaram a arma na minha cabeça e trancaram a gente nos cômodos, sempre dando chutes. Falavam que iam nos matar se não entregássemos o dinheiro”, disse um dos funcionários da empresa terceirizada que presta serviço de limpeza.

Átila Alberti
Janderson agiu algemado.

Memória

A ação durou cerca de meia hora. Os bandidos pegaram joias, relógios, dois notebooks e R$ 146 em dinheiro e fugiram no Uno. Quando estavam perto de uma universidade, o trio percebeu que havia esquecido o revólver na casa e abandonaram o carro na cancela. Voltaram a pé para buscar a arma e, na fuga, foram surpreendidos pela polícia.

De acordo com uma das vítimas, um funcionário chegou e percebeu que a casa estava revirada. Ele foi até o 12.º BPM que fica a algumas quadras de lá e uma viatura foi até o local. Os policiais deram voz de abordagem a dupla, que saía do escritório. Enquanto isso, o terceiro assaltante fugia no Peugeot do funcionário.

Tiroteio

Armado com uma pistola, Idivaldo trocou tiros com um dos policiais. O soldado Zacharias algemava Janderson e se preparava para revistá-lo, quando ouviu os tiros. Ele correu para acudir o colega e deixou o ladrão de mãos imobilizadas no meio da rua.

Idivaldo foi ferido, mas não se rendeu e tomou em assalto o Palio de um pedreiro que chegava à obra, a cerca de três quadras da casa. “Ele chegou ensanguentado, apontando a arma pra mim e eu dei a chave do carro”, contou Lori Rosa dos Santos.

Houve nova troca de tiros e o marginal, bastante ferido, dirigiu até o Hospital do Trabalhador, onde foi socorrido. Segundo a polícia, ele levou seis tiros: dois em cada perna, um no braço e outro no peito, amortecido pelo carregador de pistola que levava no bolso da camisa. O Palio teve os vidros quebrados por conta dos tiros.

Bandido obriga vítima a serrar algema

Algemado no meio da rua, Janderson, em vez de fugir, resolveu se arriscar e entrou novamente na casa, para horror das vítimas. Mesmo com as mãos atadas, ele ainda estava armado e exigiu que o dono da empresa serrasse a algema.

Enquanto isso, reforço policial foi chamado e várias equipes permaneceram de campana e prenderam o marginal. Ele foi encaminhado à Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), para onde também foram conduzidos o Palio e o Uno, dentro do qual havia uma balaclava.

Recuperados

Com os bandidos, a polícia apreendeu joias, o dinheiro, os notebooks, um revólver calibre 38, celular. A pistola do bandido ferido não foi localizada. Segundo a polícia, Janderson e um dos comparsa são de Fazenda Rio Grande. O outro é da Vila Sandra, Cidade Industrial.