Um casal foi encontrado morto, no início da tarde de ontem, em um carreiro ao lado do estacionamento do Parque Passaúna, na Vila São José, na Cidade Industrial. Reginaldo dos Santos, 29 anos, e Suelen Mafra, 24, foram mortos a tiros, e jogados em um fundo de vale. O carro dele estava estacionado perto do carreiro com o vidro do passageiro aberto e a chave na ignição. Nada foi levado.

Um morador da região passou pelo local e avisou uma equipe da Guarda Municipal que fazia patrulhamento no parque. Eles estavam parcialmente submersos no banhado à beira do lago, o corpo de Reginaldo estava caído sobre o de Suelen. Os dois foram executados com tiros na nuca.

Investigação

O delegado Ricardo Miranda, adjunto da Delegacia de Homicídios (DH), disse que, enquanto os cadáveres eram recolhidos pelo Instituto Médico-Legal (IML), a equipe de investigação foi até a casa de Reginaldo tentar descobrir motivos para o crime. Porém, nada foi divulgado. “O latrocínio foi praticamente descartado, pois não levaram o carro e nem a bolsa dela com os documentos”, explicou Ricardo.

As vítimas foram baleadas onde caíram. “O carro estava limpo. O Instituto de Identificação colheu digitais para contribuir com a investigação”, informou o delegado. Reginaldo era metalúrgico, trabalhava na Audi, em São José dos Pinhais, e tinha relacionamento com Suelen há bastante tempo.

Pescadores acham outro

Do outro lado da represa, outro corpo foi achado pela manhã. A delegacia de Campo Largo aguarda os laudos de identificação da vítima, encontrada por pescadores, próximo à margem, na Rua Mato Grosso, bairro Ferraria.

Junto ao corpo, os policiais encontraram uma identidade e uma carteira de motorista em nome de Mário Alexandre Lourenço Cunha, 32 anos. Porém há suspeita que documentação seja falsa, conforme explicou o superintendente da delegacia, Marcos Gogola.

Sangue

A vítima não apresentava sinais de morte violenta, porém, estava sem sapatos e com sangramento no nariz. “Ele pode ter sido levado até o local, obrigado a fugir, ter caído e se afogado. Mas é muito cedo para levantar hipóteses”. O corpo foi levado ao IML, onde será determinada a causa da morte e a identidade do homem.