Poucas horas depois de deixar a Colônia Penal Agroindustrial (CPAI), para passar o final de semana com a “família”, e retornar na segunda-feira, três homens foram detidos com um carro roubado, duas armas e três motocicletas. Mas apenas Murilo Jherrel Alves Gobor, 21 anos, ficou detido, porque além de assumir sozinho o roubo do veículo, também confessou que saiu da penitenciária com o objetivo de matar o filho de um agente penitenciário, durante o final de semana. A prisão aconteceu em uma casa no Bairro São Jerônimo, em Campo Largo, e foi realizada por policiais do serviço reservado, do 6.º Grupamento da Polícia Militar, com o apoio de policiais civis da cidade, comandados pela delegada Gisele Durigan.

Murilo Jherrel Alves Gobor, 21 anos, saiu da CPAI na manhã de ontem, passou no Orleans antes de ir para casa e roubou um Stilo. A delegada disse que os policiais do serviço reservado fizeram a perseguição à distância e o seguiu até a residência. “Eles esperaram o momento certo e fizeram a prisão”, contou a delegada. Os proprietários do carro foram avisados e reconheceram Murilo na delegacia, como autor do assalto.

Agente

Durante a prisão, Murilo confessou que havia saído da colônia com a missão de cometer um homicídio. O alvo era o filho de um agente penitenciário e, talvez, dependendo da circunstância, mataria o pai também. “Ele não deu detalhes do motivo dessa ordem para matar o familiar e até mesmo o agente. Isso deverá ser investigado e todas as informações vamos repassar para a Secretaria de Segurança Pública”, completou a delegada.

Confira no vídeo a prisão dos marginais.