Era dentro de lojas de grifes, em shoppings, que uma quadrilha, presa pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), vendia droga. O produto era a chamada “cocaína de playboy”, que por ter um alto grau de pureza, custava R$ 50,00 o grama. Dez suspeitos de integrar o grupo estão presos e um está foragido.

A delegada Vanessa Alice, do Cope, ressaltou que nenhuma das lojas vai ser responsabilizada pelo crime, pois os funcionários sequer desconfiavam do que acontecia.

Os bandidos entravam conversando, como se fossem clientes. Foram imagens das câmeras de segurança das lojas e dos shoppings que possibilitaram ao Cope identificar a quadrilha.

Peça-chave

O primeiro a ser preso foi Rogério Rodrigues Maciel, 24 anos, o “Rogerinho”, evadido da Colônia Penal Agrícola (CPA) desde janeiro, durante investigação do roubo a um banco.

A polícia constatou que ele não tinha nada a ver com o assalto, mas descobriram seu envolvimento com tráfico, roubos e furtos a residência e a estabelecimentos comerciais e homicídios (crime pelo qual ele foi condenado a nove anos).

As investigações começaram em abril. E no fim do mês passado, quando “Rogerinho” foi preso no Pinheirinho, ele portava 28 gramas de cocaína e documento falso. O suspeito foi reconhecido em alguns roubos a residências e empresas.

Prisão do resto do bando foi feita em três dias

Divulgação/Cope
Edson “Borracha” é procurado.

Logo depois da prisão de Rogério, o restante da quadrilha começou a ser descoberto. No início do mês foram presos Alexandre Machado Alves, 31, o “Pesadelo”, Josiane Ariadne Andrade Quevedo, 18, e William Cezar Modesto, 23, pegos com 450 gamas de cocaína no Xaxim.

William era o responsável pelo transporte da droga, para evitar que o patrão, Denerson Willian de Oliveira, 23, fosse pego em flagrante. Denerson foi preso dias depois.

Ele é apontado como um dos líderes do esquema, por ser quem financiava a droga vinda do Paraguai. Ele já foi condenado uma vez, a cinco anos de prisão, por tráfico de drogas.

Na quinta-feira, o Cope prendeu Franciele Patris Pertile, 26, e Alex Luiz Severino Cordeiro, 28, o “Seco”, no Fazendinha, com 55 gramas de cocaína. De acordo com a polícia, Franciele era amásia de “Rogerinho”, e assumiu o comando do tráfico após o marido ser preso.

Ela já foi presa pela Polícia Federal, em Santa Catarina, por tráfico de drogas. Também na quinta-feira, o Cope pegou Wagner Alberto de Melo, 38, o “Waguinho”, que estava com mandado de prisão preventiva decretado. Ele e Alexandre foram reconhecidos pelo roubo a uma empresa em Curitiba.

Foragido

Na sexta-feira, ocorreram as últimas prisões. Edemilson Tenório dos Santos, o “Zu”, ou “Acne”, portava 11 pedras de crack e munições calibre 38. Ele já foi condenado por furto e roubo.

Paulo Jorge Tavares, o “Paulinho”, foi pego quando chegava na casa de “Acne”, no Fazendinha. Ele é foragido da CPA desde janeiro de 2004, e possui três condenações por roubo, que somam 11 anos e meio de prisão.

A polícia ainda procura por Edson dos Santos Fernando França, o “Borracha”. Ele está com mandado de prisão decretada. “Borracha” é suspeitos de roubos e furtos, é foragido da CPA desde dezembro e condenado a 20 anos de prisão por latrocínio, crime ocorrido em 2006.