Um ex-funcionário suspeito de planejar e executar o roubo à empresa de vigilância Lynx, em 11 de abril, foi preso em casa na manhã de ontem, em Pinhais, por investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos. Apesar de Valmir de Paula, 22 anos, ter sido visto por uma testemunha no local do crime, segundo a polícia, ele nega a participação.

A empresa fica na Rua México, Bacacheri, em Curitiba. No dia do roubo, quatro homens renderam o único vigilante de plantão e levaram 37 armas e vários coletes balísticos que estavam no cofre. Valmir foi visto quando desceu do carro, minutos antes de vestir a balaclava.

Contra ele foi expedido um mandado de prisão,. Valmir trabalhou por sete meses na Lynx e, desde que saiu de lá, atuava como segurança de um bailão. “Nos últimos meses mais de dois mil funcionários passaram pela empresa. Porque eu estou sendo acusado?”, questiona.