Dez pessoas foram presas no Paraná e outras três no Rio de Janeiro durante a Operação Terra Colorada desencadeada, na manhã de ontem, pela Polícia Federal de Guaíra (PF).

Todos são suspeitos de integrar quadrilha especializada no tráfico de drogas para cidades do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Treze pessoas já estavam presas antes da operação e algumas comandavam o esquema de dentro de cadeias do Paraná e Rio de Janeiro usando celulares. Além dos presos, um adolescente foi detido com dez quilos de droga.

Ao todo, foram expedidos 29 mandados de prisão e outros 27 de busca e apreensão a serem cumpridos por mais de 80 policiais federais de Maringá, Londrina, Foz do Iguaçu e Rio de Janeiro, e policiais militares da Força Alfa. Até o final da tarde de ontem, duas pessoas ainda eram procuradas no Paraná e uma no Rio de Janeiro.

No Paraná, houve prisões nas cidades de Arapongas, Guaíra e Terra Roxa, onde atuava o principal núcleo do bando que enviou 250 quilos de maconha ao Comando Vermelho.

A droga foi apreendida no forro de uma creche em Copacabana, no Rio de Janeiro, em maio deste ano. Um dos presos tinha mandado de prisão por Terra Roxa, mas foi encontrado num hotel em Maringá.

O colega dele é um dos que permanecem foragidos. Um adolescente de 17 anos que estava armado e com dez quilos de maconha também foi apreendido, ontem, durante mandado de busca e apreensão na casa dele. No Rio de Janeiro, três pessoas foram presas em Búzios e na capital.

Segundo o delegado Raymundo Miranda Castanon Andrade, da PF de Guaíra, as investigações começaram há três meses, mas ainda não há um levantamento do total de droga apreendido nesse tempo.

“A droga tinha origem na região de Guaíra e Terra Roxa, por conta da proximidade com o Paraguai. A quadrilha era especializada em tráfico de maconha, mas também apreendemos uma certa quantidade de crack”, contou o delegado. Quanto às pessoas que já estavam presas, o delegado esclareceu que elas responderão por mais esse crime, que poderá agravar a pena.