Vários serviços de telefonia da Polícia Militar (PM) e da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) ficaram prejudicados, esta semana, porque as contas de telefone não foram pagas pelo governo. O problema foi relatado em reportagem da Gazeta do Povo, que mostrou que, pela falta de telefones, o serviço 190 da PM estava habilitado a apenas receber chamadas, mas não podia fazê-las. Os policiais não podiam retornar as ligações para quem solicitava ajuda, para pedir informações complementares, dar orientações ou informar o deslocamento de policiais e viaturas. Outro serviço que está na iminência de ser interrompido, segundo a reportagem, é o fornecimento de marmitas para presos de penitenciárias, já que os fornecedores da comida não estavam sendo pagos.

A Secretaria de Fazenda esclareceu ontem que o problema aconteceu porque, devido à troca de comando na secretaria, os gastos estavam sendo reavaliados e foram interrompidos. Também alegaram que o repasse de verbas federais ao Estado foram reduzidos, causando um déficit de R$ 1,5 bilhão por ano. A secretaria informou que os pagamentos das contas telefônicas foram liberados ontem e que a Secretaria da Administração vai convocar fornecedores para planejar os pagamentos. Em duas semanas, tudo deve voltar ao normal.