João Maria morreu ao lado do
carro que levou para consertar.

Surpreendido por seu assassino, o pintor João Maria Bueno de Oliveira, 37 anos, não teve sequer tempo de reagir e foi morto com três tiros disparados a curta distância contra a cabeça, às 15h15 de ontem. O local escolhido pelo matador foi uma oficina mecânica, pertencente a um parente da vítima, localizada na esquina das ruas Professor Júlio Teodorico Guimarães e Monte Nebo, no Pinheirinho.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima chegou no estabelecimento em seu carro, Gol placa LWI-4916, para consertá-lo. Estacionou-o no galpão e ficou ao lado esperando que o mecânico fizesse a vistoria. No momento em que o mecânico estava embaixo do veículo, o assassino entrou na oficina e disse para ele não se mexer. Em seguida, armado, virou-se para João Maria e atirou.

A vítima caiu morta em meio a uma poça de sangue. Depois dos disparos, o assassino saiu correndo e a uma quadra dali entrou num carro que o esperava. A placa, modelo ou marca do carro não foram anotados.

Mistério

Pelas características da execução, o crime provavelmente foi premeditado. O autor, descrito como moreno, vestido todo de preto e usando um boné, teria seguido a vítima e visto onde ela parou o carro. Passou pela frente do estabelecimento e estacionou o seu veículo mais adiante, em frente a um bar, retornando a pé.

O que teria motivado o crime ainda é um mistério para a polícia, que pretende ouvir, nos próximos dias, todos aqueles que estavam na oficina no momento da execução. A vítima morava em Santa Felicidade. De acordo com Laercio Bueno de Oliveira, ele não sabe nada que desabone a conduta de vida de seu irmão e que possa ter causado a sua morte.