Foto: Walter Alves

Crime aconteceu na Avenida Vereador Wadislau Bugalski.

A rotina de trabalho do jovem Maikon Jurischka de Almeida, 22 anos, foi interrompida a tiros no início da manhã de ontem, no Jardim Dourados, em Almirante Tamandaré. Ele pilotava sua motocicleta pela Avenida Vereador Wadislau Bugalski, quase esquina com a Rua dos Marceneiros, quando outro motoqueiro se aproximou, parou ao seu lado e disparou pelo menos quatro tiros em sua direção. A vítima chegou a ser atendida pelo Siate, mas não resistiu aos ferimentos na cabeça e morreu no local.

A polícia trabalha com duas principais linhas de investigação para o assassinato. ?Acreditamos que ele foi executado por um desafeto ou baleado durante uma tentativa de roubo?, informou o investigador Danilo, da delegacia local. Testemunhas serão ouvidas para fornecer mais detalhes sobre a abordagem do matador e ajudar a esclarecer o crime.

Pelo que pôde ser levantado no local, a hipótese de execução é a mais provável. ?Familiares relataram que Maikon carregava dinheiro no bolso, mas não foi levado pelo assassino?, disse Danilo. A motocicleta da vítima (Honda, placa AGH-3431) e o capacete também permaneceram na cena do crime. Além disso, os policiais militares do 17.º Batalhão que atenderam a ocorrência apuraram que Maikon vinha sendo ameaçado, embora os informantes não tenham dito quem seria o autor das ameaças nem o motivo da desavença.

De acordo com a perita Jussara Joeckel, do Instituto de Criminalística, é provável que o autor dos disparos estivesse perseguindo o jovem. ?A vítima estava de capacete, que não permitia que fosse visto seu rosto. O assassino provavelmente sabia que era o Maikon quando atirou?, analisou. Conforme relatos de algumas testemunhas, o matador estava numa motocicleta vermelha e parou ao lado da vítima. ?Os tiros foram bem de perto. Pelo menos quatro tiros acertaram o capacete de Maikon, sendo que um deles atingiu a cabeça dele. Ele não escapou por pouco?, lamentou a perita.