Alberto Melnechuky
Adriano, dois tiros no peito.

Adriano do Espírito Santo, 26 anos, foi assassinado com dois tiros no peito a poucos metros de sua casa, na Rua Augusto de Mari, esquina com a Rua Assis Figueiredo, no Parolin. Moradores só ouviramos tiros, pouco antes das 23h de quinta-feira, e ninguém disse ter visto quem atirou.

A esquina onde Adriano foi morto era um ponto de encontro de amigos, mas, conforme relatou a irmã da vítima, naquela noite o rapaz estaria sozinho lá. Para ela, Adriano dizia que não usava drogas e nunca comentara estar sendo ameaçado, embora morasse ao lado da casa da irmã. "Ele só bebia bastante", disse a mulher.

Assaltos

Os soldados Araújo e Farias, do 13.º Batalhão da Polícia Militar, levantaram os registros de Adriano junto ao cadastro da PM. "Ele contava com várias passagens, principalmente por assalto", relatou Faria. O policial disse que ninguém contou ter ouvido barulho de algum veículo se afastando do local, após os disparos, fazendo supor que o assassino estivesse a pé.

As primeiras informações foram registradas pelos investigadores da Delegacia de Homicídios. Eles conversaram com moradores e com familiares da vítima para conseguir pistas sobre o crime.

Adolescente esfaqueado

Também no Parolin, um adolescente de 17 anos foi esfaqueado na noite de quinta-feira. Encaminhado por socorristas do Siate ao Hospital do Trabalhador, a vítima foi internada em estado grave. De acordo com o cabo Flausino (Siate), o menor recebeu pontaços no peito e apresentava ferimentos no rosto. Inclusive, estava com dificuldade para respirar. O jovem levou três facadas na esquina da Avenida do Canal com Rua Montese. Sobre a autoria, ninguém quis prestar informações no local.