Caos e destruição era o cenário encontrado no prédio consumido por um incêndio na segunda-feira, no centro. O perito do Instituto de Criminalística Marcos Torres explica que, mesmo diante dos estragos, deverá ser possível verificar onde o fogo começou.

“O prédio estava muito queimado, mas não vai atrapalhar o trabalho da perícia. Levamos amostras de materiais para determinar o que pode ter ocorrido. Acredito que no máximo em 30 dias teremos uma resposta”.

O fogo destruiu o depósito da Casa das Embalagens e da Comercial Embalagens e atingiu ainda um escritório de advocacia, a loja Sete Embalagens e a sede do Sindicato dos Trabalhadores em Urbanização do Estado do Paraná (Sindurbano-PR).

Limpeza

Ontem, os funcionários da Sete Embalagens trabalharam o dia inteiro para organizar, limpar e fazer os reparos na loja. De acordo com a funcionária Isabele Jansons, ainda não se sabe quanto tempo será necessário para recuperar o prejuízo.

“Muita coisa do estoque foi perdida. Tínhamos material para a Páscoa que foi consumido pelas chamas. Esta é a maior perda em 16 anos da loja”, revela. Os carrinheiros, que recolhem lixos recicláveis, receberam a autorização dos donos das lojas atingidas pelo incêndio para pegar o material que não ficou totalmente destruído.