Luckas Henrique Monteiro, 17 anos, foi morto na madrugada de ontem, em Colombo, por policiais militares do 17.º Batalhão, possivelmente ao reagir à abordagem. Ele estava acompanhado de um amigo, que não se feriu, fugiu e até o momento não está identificado. Atingido no peito, Luckas foi levado pelos próprios policiais ao pronto-socorro do Alto Maracanã, onde já chegou morto. Dois revólveres foram apreendidos.

De acordo com o boletim de ocorrência entregue pela PM, na Delegacia de Colombo, os policiais militares patrulhava o bairro Moinho Velho, quando se depararam com Luckas e o amigo, na Rua Adélio Correia, pouco antes das 3h. Ainda segundo a polícia, os dois correram e, em seguida, começaram a atirar contra os policiais, que revidaram. Luckas foi atingido no peito. O outro rapaz fugiu por um matagal. Na fuga, teria deixado cair um revólver calibre 32, recolhido junto com um revólver calibre 38, que estaria com Luckas.

Inquérito

Segundo o major Antônio Carlos Fernandes, subcomandante do 17.º Batalhão, mesmo sem a família de Luckas ter procurado a PM, um Inquérito Policial Militar (IPM) foi aberto para averiguar a ocorrência. As armas dos policiais, usadas no confronto, já foram levadas à perícia e a Polícia Civil também já solicitou perícia nas armas recolhidas com Luckas. Como não foi constatado excesso no trabalho dos policiais, eles permanecem normalmente no serviço de rua.

O superintendente de Colombo, Odimar Klein, tenta descobrir quem é o garoto que estava com Luckas, para que ele dê sua versão. A família do rapaz morto não sabe quem possa ser esse rapaz. Também relataram ao superintendente que Luckas era trabalhador, ia sempre a festas com os amigos e nunca relatou ter inimigos.