O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou nesta sexta-feira (20), operação para desarticular um esquema de corrupção na Receita Estadual de Londrina, na região Norte do Paraná.

Foram cumpridos mandados em três estados: no Paraná (nas cidades de Curitiba, Londrina, Ibiporã, Bandeirantes, Maringá, Campina Grande do Sul e Alvorada do Sul); em São Paulo (no município de Palmital); e no Rio de Janeiro (na capital e em Angra dos Reis).

Ao todo, foram expedidos pelo juízo da 3ª Vara Criminal de Londrina 14 mandados de prisão preventiva, sete mandados de prisão temporária, 30 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de condução coercitiva (pessoas encaminhadas para prestarem declarações).

Entre os detidos estão fiscais da Receita Estadual, um policial civil, um contador e empresários (inclusive os “testas de ferro”). Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Receita Estadual de Londrina, em empresas, escritórios de contabilidade e em residências, locais em que foram apreendidos documentos, computadores e quantias em dinheiro.

Investigações

Há cerca de nove meses o Gaeco e a Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público de Londrina iniciaram as investigações, que apontaram a existência de uma organização criminosa envolvida em corrupção ativa (dos empresários) e passiva (dos servidores da Receita Estadual), além de falsidade de documentos e lavagem de dinheiro. As investigações ainda não permitem estimar o montante do prejuízo causado pelo grupo aos cofres públicos.