José Assis Miranda, 55 anos, e Gelson Luiz Haninec, 45 anos, foram presos em flagrante dentro de uma pequena fábrica de documentos falsos, que funcionava na residência de um deles, na Rua Paraíba, Guaíra. A dupla foi presa pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), na segunda-feira, por estelionato e falsificação de documentos e apresentada ontem. A polícia havia recebido uma denúncia anônima.

José estava comprando um envelope de documentos falsos de Gelson quando foi surpreendido por policiais, ao receber a encomenda pela grade do portão. No apartamento de Gelson, foram apreendidos “espelhos” de cédulas de identidade para serem preenchidos, um gabarito para perfurar os documentos, comprovantes de endereço e renda, além de identidades já finalizadas com diversos nomes, mas com a mesma foto.

Preços

A qualidade das réplicas surpreenderam a polícia, que procura o homem dos retratos. “Os kits eram vendidos por R$ 250, e os espelhos Gelson comprava por R$ 10”, conta o delegado do Cope, Cassiano Aufiero. O material era adquirido por clientes para usar no comércio. O delegado conta que o alvo eram lojas de eletrônicos e que teriam sido comprados notebooks, tablets e até ingressos para shows internacionais. Na casa de José foram encontrados esses objetos possivelmente adquiridos no comércio de Curitiba com os documentos falsos.

Conhecidos

A dupla é conhecida pela polícia. José responde a nove inquéritos e 11 processos por estelionato e falsificação de documentos. Gelson tem nove inquéritos e seis processos pelos mesmos crimes. Os detentos ficam no Cope até serem transferidos para o Centro de Triagem II, em Piraquara, onde aguardam julgamento.

Allan Costa Pinto