Os jornalistas José Diniz e Edson Silvestre, o policial militar aposentado Claudionei de Souza Alexandre, o motorista Márcio Antônio dos Santos e o segurança Cornélio Goetz são as cinco pessoas denunciadas pelo Ministério Público, no início desta semana, por formação de quadrilha, extorsão e cárcere privado, juntamente com o megavigarista Neviton Caetano, que além destes crimes ainda foi enquadrado por porte ilegal de arma e atentado violento ao pudor.

A denúncia se refere somente ao caso em que Neviton é acusado de extorquir o diretor da empresa Spaipa, em R$ 300 mil. Ainda está em andamento, na Promotoria de Investigação Criminal (PIC), outras duas denúncias por extorsão contra Neviton, que devem ser oferecidas nos próximos dias. Em uma delas, a vítima é o proprietário de uma mineradora em Campo Largo, e na outra, é o dono de uma imobiliária.

De acordo com a acusação, os dois jornalistas elaboravam as perguntas, antes das gravações tinham uma conversa prévia com a vítima e no momento de produzir a matéria para o site TV Injustiça induziam as vítimas a respondê-las. Na maioria das vezes a pessoa dizia “sim”. Segundo a acusação, a função de Diniz e Edson era dar um cunho jornalístico às matérias, utilizadas posteriormente para extorsão.

Claudionei, Márcio e Cornélio trabalhavam como seguranças de Neviton. A acusação contra os três é de que eles intimidavam e revistavam as pessoas. O Ministério Público entendeu que os seis denunciados faziam parte de uma quadrilha.