Uma criança, de apenas quatro meses, morreu asfixiada, na madrugada de ontem, em uma casa da Rua Domingos Antônio Moro, Jardim Primavera, no Pilarzinho.

A fatalidade aconteceu quando Gabriel dormia na cama, com os pais adolescentes – ambos de 17 anos. Quando eles acordaram, perceberam que a criança não respirava.

Os vizinhos chamaram o Samu, mas os socorristas encontraram a criança morta. Policiais militares do 20.º Batalhão comentaram que a principal hipótese é que o menino morreu sufocado pelos pais, que supostamente rolaram por cima dele enquanto dormiam.

Uma vizinha, que preferiu não se identificar, disse que o casal, apesar de bem jovem, frequenta uma igreja evangélica da região e ambos cuidavam bem da criança.

O corpo da criança foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML). A Delegacia de Homicídios deverá instaurar procedimento para apurar a causa da morte e aguarda o resultado de exames complementares.

Inadequado

Especialistas não recomendam que bebês compartilhem a cama, nem com outras crianças. “O bebê não tem reação de defesa”, afirma a pediatra e coordenadora técnica de Saúde da Criança da Secretaria de Saúde de Curitiba, Cristiane Vardana Marangon.

Segundo a pediatra, o ideal é que a criança tenha o seu próprio espaço para dormir. “Isso é difícil entre as famílias carentes que dormem muitas vezes no mesmo cômodo. Mas a fatalidade pode acontecer também entre famílias de outros níveis sociais”, adverte a pediatra. Segundo especialistas, a possibilidade de morte súbita em bebês saudáveis diminui nove vezes quando eles dormem de barriga para cima.