O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) registrou deflação de 0,19% na última semana de maio. É o menor resultado desde a segunda semana de setembro de 2005, quando houve variação de ? 0,20%. O índice divulgado hoje (1) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) é 0,20 ponto percentual abaixo do registrado na semana anterior (0,01%). Em abril, havia sido apurada uma elevação de 0,34%.

Das sete classes de despesa que compõem o índice, quatro tiveram redução. O grupo alimentação foi o que mais contribuiu para o recuo, passando de ?0,29% para ?0,94%. Baixaram os preços das hortaliças e legumes, das frutas, arroz e feijão e adoçantes. Houve alta de preços de aves e ovos.

Também foi registrado recuo nos grupos transportes (-0,71% ante -0,51%), com destaque para o item gasolina, que registrou queda de -0,66 ante -0,25%, saúde e cuidados pessoais e despesas diversas.

Os preços da habitação mantiveram-se no mesmo patamar apurado na última semana (0,26%). Os grupos vestuário e educação, leitura e recreação foram os únicos a apresentar acréscimo em suas taxas.

O IPC-S é calculado semanalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) com base na variação de preços observada nos trinta dias anteriores ao fechamento do índice. O cálculo é baseado em cerca de 450 produtos e serviços usados por famílias com renda mensal de até 33 salários mínimos e residentes em sete capitais brasileiras. Foram considerados para o índice divulgado hoje os preços praticados entre os dias 1º e 31 de maio.