A tuberculose, uma doença curável e que pode ser prevenida, contamina 40 pessoas a cada hora na América Latina e no Caribe, e provoca a morte de uma pessoa a cada dez minutos.

A informação é da Organização Pan-americana de Saúde (OPS) e levou a Organização das Nações (ONU) a pedir que os países da região façam da luta contra a doença uma prioridade em sua agenda de saúde.

Hoje é comemorado o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose e o Ministério da Saúde veicula campanha publicitária com o objetivo de chegar meta de curar pelo menos 85% dos casos descobertos no país.

Para Mirta Roses Periago, diretora da OPS, uma morte por tuberculose é demais. Ela defendeu que os países da região respondam com maior firmeza, vontade e responsabilidade, compartilhando a luta contra o sofrimento, o que inclui maior investimento em prevenção e tratamentos.

Com os recursos que demanda uma grande ação local contra a tuberculose, teremos êxito na sua eliminação global, afirmou. A OPS destacou que adoecem e morrem atualmente de tuberculose mais pessoas que há 125 anos, quando Robert Kock descobriu o vírus da doença.

Para o controle são necessários um diagnóstico correto, um tratamento seguido com disciplina e um acompanhamento cuidadoso da evolução da doença por pessoas da área médica, acrescentou a OPS.