Ex-prefeito pode ser
expulso do partido.

O Diretório Regional do Partido Progressista(PP) de São Paulo é que deverá decidir se adotará ou não qualquer medida contra o ex-prefeito Paulo Maluf. A afirmação foi feita pelo líder do partido na Câmara, deputado Pedro Henry(MT), durante reunião da bancada partidária. Hoje, o ex-prefeito reuniu-se em almoço com a bancada para conversar sobre as denúncias contra ele de envio de dinheiro para o exterior.

Segundo o líder Pedro Henry, o que existe contra Maluf “são especulações da imprensa. Não há fato concreto e nem denúncia contra o ex-prefeito. Havendo algo do Ministério Público o partido tomará as providências”, disse.

Durante a reunião com a bancada progressista, Paulo Maluf informou, segundo o líder, que ele fez uma escritura pública autorizando o saque por qualquer cidadão que achar dinheiro dele na Suiça. A escritura, segundo ele, dá esse direito.

O líder observou que se há alguma coisa de irregular com o ex-prefeito “então, que se denuncie e aí o partido tomará as medidas cabíveis. Não vamos fazer pré-julgamentos”. O líder afirmou, ainda, que não existe nenhum pedido de suspensão do ex-prefeito do PP.