O senador republicano John McCain, dos EUA, escoltado por 100 soldados americanos e dois helicópteros Apache, fez uma visita-surpresa a um mercado em Bagdá, e depois garantiu que a segurança melhorou na capital iraquiana. Num comunicado, McCain disse que sua visita ao mercado no domingo deixou-o "cautelosamente otimista" com a operação de segurança que tropas dos EUA e do Iraque realizam há 7 semanas de bairro em bairro na capital.

McCain, um presidenciável do Partido Republicano, que foi prisioneiro de guerra no Vietnã, deu uma entrevista coletiva em seguida à visita ao mercado, para dizer que a segurança está melhorando na capital iraquiana. Ele reconheceu que os EUA têm pela frente uma tarefa difícil no Iraque, mas insistiu que o plano de segurança elaborado pelos EUA e pelo Iraque está dando resultados, citando como prova disto uma recente queda nas execuções sectários, a montagem de postos de segurança na cidade e os esforços tribais dos sunitas contra a Al-Qaeda na província de Anbar, oeste do Iraque.

Ontem, Mccain e outros parlamentares republicanos, como o senador Lindsey Graham, da Carolina do Sul, e os deputados Mike Pence, de Indiana, e Rick Renzi, do Arizona, viajaram à província de Anbar, um dos centros da insurgência sunita a oeste de Bagdá. McCain encontrou-se com o xeque sunita Abdul Sattar al-Rishawi, líder de uma aliança tribal árabe sunita contra os insurgentes da Al-Qaeda, informaram em comunicado na segunda-feira os militares dos EUA.