O pai de 50 anos, que atirou contra o pescoço do próprio filho, de 29 anos, na tarde de sábado (12), no município de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, foi liberado da delegacia algumas horas depois do crime. Como ele alegou que tinha sido um disparo acidental e não tinha antecedentes criminais, o juízo local mandou soltá-lo, para que as investigações prossigam e o caso seja melhor esclarecido.

Conforme o delegado Michel Carvalho, da delegacia de São José dos Pinhais, a juíza que recebeu o flagrante mandou soltar o homem por entender que precisava de mais informações pra esclarecer a situação, saber se o caso tratou-se de uma tentativa de homicídio, uma lesão corporal culposa ou uma legítima defesa. Desta forma, o homem deve ficar em liberdade até o final das investigações.

+ Leia mais: Negociação com policial em surto evita o pior no bairro Santa Quitéria

Espera-se também a recuperação do rapaz baleado, para que possa esclarecer todas as circunstâncias do tiro. Ele permanece internado, mas sem risco de morte. O revólver foi apreendido e será mandado à perícia, para embasar o inquérito. O homem que atirou é vigilante e mostrou à polícia que, há muitos anos, possuía a arma devidamente registrada.

Más companhias

O caso ocorreu por volta das 14h30 de sábado na Rua Salomão Miguel Nasser, no bairro Guatupê. Pai e filho moram no mesmo terreno, porém em casas distintas. O pai teria ido tirar satisfações com o filho por conta das pessoas que o jovem convidou para uma reunião em casa, mas que o pai considerava más companhias. Num dado momento da discussão, o pai voltou em sua casa buscar o revólver, os dois entraram em luta corporal e houve o disparo, que pegou o pescoço do filho, mas não atingiu nenhuma veia ou artéria. Quando o Siate chegou, a vítima perambulava pelo terreno aguardando o atendimento. O pai foi preso em flagrante no local.

Seis morrem após caminhão despencar em ribanceira na Grande Curitiba