As férias nem chegaram ainda e uma quadrilha de ladrões já anda “fazendo a festa” em casas que ficam fechadas durante o dia, nos municípios de Almirante Tamandaré e São José dos Pinhais. Em menos de uma semana eles já arrombaram quatro casas. Mas a polícia não descarta que eles tenham cometido mais de 10 crimes neste período.

Conforme o superintendente da delegacia de Almirante Tamandaré, Adailton Cândido, o modus operandi da quadrilha é sempre o mesmo. Eles param com um Gol vermelho na frente da casa escolhida e, usando um corte a frio (uma espécie de alicate grande e forte), quebram o cadeado do portão em pouquíssimos segundos. Entram, buscam alguma porta ou janela mais fácil de abrir ou arrombar com um chute ou o ombro, entram na casa e vão embora levando tudo de valor que conseguem carregar.

Geralmente eles agem em três: um homem desce do carro e corta o cadeado. Ele volta para o veículo e guarda o alicate. Então um segundo homem desce do Gol e a dupla entra no imóvel. O terceiro homem fica no carro, ao volante, monitorando a rua. Porém, no crime que praticaram na manhã desta quarta-feira (12), um quarto homem foi visto.

A polícia descobriu que o Gol vermelho usado pela quadrilha em todos estes arrombamentos está usando uma placa clonada. O verdadeiro dono é um homem que mora no bairro Ganchinho e recebeu um telefonema, informando que o carro dele estava sendo usado em furtos. O homem estranhou, procurou a polícia e descobriu que a placa do seu carro havia sido clonada. Acredita-se que o Gol usado pelos bandidos seja roubado.

+ PMs que aparecem atirando na CIC são identificados e afastados

A Delegacia de Almirante Tamandaré tem três boletins de ocorrência registrados dando conta da ação da quadrilha. Em São José dos Pinhais há outro boletim. Os dois primeiros arrombamentos ocorreram na sexta-feira (7) da semana passada, no bairro Cachoeira, em Almirante Tamandaré. Na segunda-feira (10), a quadrilha cometeu o crime em São José dos Pinhais. E na manhã desta quarta-feira, fizeram outro arrombamento no bairro Tanguá, em Almirante Tamandaré. Estes são os registros oficiais. No entanto, circulando pelos bairros dos arrombamentos, os investigadores da Polícia Civil tiveram notícia de que a quadrilha pode ter arrombado pelo menos outras 10 casas. Mas as vítimas não deram queixa dos crimes à polícia.

Alguns dos arrombamentos foram flagrados pelas câmeras de segurança dos imóveis vítimas ou vizinhos. Quem souber quem são os suspeitos mostrados nas imagens, ou onde encontrar o Gol vermelho, deve informar à Delegacia de Almirante Tamandaré pelo telefone 3874-5100.

O que fazer pra evitar o arrombamento?

Conforme o superintende Adailton Cândido, as ferramentas mais eficientes para evitar os furtos são os grupos de WhatsApp e os programas de Vizinhos Solidários, em que um vizinho cuida do outro e qualquer atitude suspeita na rua é comunicada no grupo de WhatsApp, para que todos fiquem alertas e a polícia seja chamada.

“Você vê pelos vídeos que o cadeado torna a ação do bandido mais demorada, mas não impede o crime. Pois seja do tamanho que for, os ladrões conseguem cortar o cadeado em poucos segundos. Não existe muro, não existe portão. Se o ladrão quer entrar mesmo, ele dá um jeito”, lamenta Adailton.

Ele também dá a dica do alarme e das câmeras. Apesar do alarme não impedir a ação dos bandidos, ele chama a atenção. Usado em conjunto com os grupos de WhatsApp e o Vizinho Solidário, torna-se uma ferramenta eficiente, pois os bandidos vão preferir atacar uma rua ou bairro onde não há nenhuma “vigilância” e eles sabem que não serão importunados.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Morte de idosa em casa de repouso foi causada por agressão física, confirma laudo