Emerson dos Santos Simplício, 47 anos, foi condenado a 57 anos de prisão, na semana passada, por matar a ex-mulher, as duas filhas gêmeas de seis anos e o namorado da sua ex. o crime ocorreu no dia 15 de março de 2016, na Rua Jerônimo Mendes dos Santos, bairro Maria Antonieta, no município de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele só foi preso três anos depois em Foz do Iguaçu.

+Leia também: Após assassinato, suspeito ‘se dedura’ à polícia cometendo outro crime!

Emerson foi levado a júri popular no dia 31 de outubro. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) atuou na acusação, representado pela 3ª Promotoria de Justiça de Pinhais, sustentando a tese de homicídio qualificado (meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas e feminicídio, no caso da mulher e das crianças) – acolhida na íntegra pelos jurados.

O condenado, que matou as quatro pessoas por não se conformar com o fim do relacionamento, encontra-se preso preventivamente desde 26 de fevereiro do ano passado, quando foi localizado pela polícia.

+Leia também: Polícia encontra mais de mil caixas de cerveja roubadas em depósito de supermercado

Relembre o crime

A polícia falou à época que Emerson matou Lindalva Santos, 47, por não se conformar com o fim do relacionamento. Então Lindalva arranjou outro namorado e foi morar com ele, Paulo Roberto Rodrigues, 54 anos. Junto ela levou as filhas gêmeas de seis anos que tinha com Emerson, Camile e Nicole Santos.

O assassino entrou na casa da família e matou todos com golpes de enxada na cabeça. O corpo de Paulo estava na residência dos fundos e o de Lindalva, na casa da frente. As duas meninas estavam enroladas em um lençol, no mesmo cômodo que a mãe. Os corpos foram encontrados um dia depois pelos patrões de Lindalva, que desconfiaram quando ela não apareceu pra trabalhar.

Padeiro é fuzilado dentro do carro em Curitiba