No Paraná, apenas 20% dos 600 técnicos que trabalham na Receita Federal paralisaram hoje suas atividades, conforme avaliação feita pelo superintendente regional, Luiz Bernardi. Na capital, onde estão lotados 180 técnicos, o atendimento aos serviços essenciais foi normal e, de acordo com o superintendente, nos setores onde houve paralisação, foram remanejados funcionários de outras carreiras.

Bernardi destacou a postura de respeito adotada por alguns técnicos com as pessoas que procuraram a Receita no dia de hoje em Curitiba. Muitos deles, afirmou Bernardi, "participavam das manifestações por um certo período e depois voltavam ao trabalho".

Na avaliação do diretor da Executiva Nacional do Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal (Sindireceita), Alcione Policarpo, a adesão dos técnicos paranaenses atingiu quase 100% da categoria. Para ele, o movimento foi válido, conseguindo o que se pretendia, que era chamar a atenção para o pedido de reestruturação da carreira. Alcione Policarpo disse que, no Paraná, a exemplo de todo o país, a reivindicação não é por melhores salários, mas pela definição de um plano de carreira onde ocorram promoções.