O governo do Paraná atingiu em maio a marca de 71 empresas atendidas pelo programa Bom Emprego, instituído pelo governador Roberto Requião. Voltados à industrialização do Estado, com geração de novos empregos e renda, os benefícios concedidos às empresas pelo programa já ultrapassam a marca de R$ 2,5 bilhões.

Segundo o secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, o programa proporciona ao empresário um aporte substancial de capital de giro, gerando também novas contratações. ?O número de empregos diretos criados nas empresas pelo programa está estimado em 12 mil, além de outros 36 mil indiretos?, aponta.

Além disso, afirma o secretário, o Estado ajuda na consolidação do novo empreendimento. ?Os limites do benefício vão de 1 a 2 vezes o valor do investimento realizado pela empresa no Estado?, acrescenta.

O governo do Paraná atingiu em maio a marca de 71 empresas atendidas pelo programa Bom Emprego, instituído pelo governador Roberto Requião. Voltados à industrialização do Estado, com geração de novos empregos e renda, os benefícios concedidos às empresas pelo programa já ultrapassam a marca de R$ 2,5 bilhões.

Segundo o secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, o programa proporciona ao empresário um aporte substancial de capital de giro, gerando também novas contratações. ?O número de empregos diretos criados nas empresas pelo programa está estimado em 12 mil, além de outros 36 mil indiretos?, aponta.

Além disso, afirma o secretário, o Estado ajuda na consolidação do novo empreendimento. ?Os limites do benefício vão de 1 a 2 vezes o valor do investimento realizado pela empresa no Estado?, acrescenta.

Incentivos ? A Biometrix Científica Ltda, fabricante de equipamentos médico-hospitalares, em Tijucas do Sul, é uma das empresas atendidas pelo programa Bom Emprego. O enquadramento ocorreu em dezembro do ano passado e a empresa iniciou a produção no mês seguinte.

O contador Sandro Luiz Soto, representante da Biometrix, diz que o Bom Emprego é um programa que solidifica as empresas paranaenses. ?Se por um lado o Estado não abre mão dos recursos, por outro o programa torna-se fundamental para os seus primeiros passos?, afirma.

Soto diz também que o Bom Emprego induz um planejamento estratégico para a empresa beneficiada. ?Esperamos aumentar nossos investimentos e passar a ter um faturamento maior devido ao programa?, conclui.

Regiões ? O programa envolve todas as regiões do Paraná. Quando mais pobre o município atendido, maiores são os incentivos fiscais. Até o momento, a Região Metropolitana de Curitiba (RMC) possui 40 empresas beneficiadas.

A região Norte, abrangendo cidades como Londrina e Maringá, aparece com 12 empresas. O Sudoeste, com cinco empresas. O Oeste, a região dos Campos Gerais e o Médio-Paranapanema têm cada qual duas empresas enquadradas. No Sul, Centro, Centro-Sul e Noroeste do Estado, há uma empresa selecionada em cada região.

Entre os setores e segmentos industriais das empresas beneficiadas, estão principalmente a fabricação de embalagens, remédios genéricos, alimentos, bebidas, rodas automotivas, esquadrias de alumínio, fogões, indústria têxtil, química, alimentos e telecomunicação.

Incentivos

A Biometrix Científica Ltda, fabricante de equipamentos médico-hospitalares, em Tijucas do Sul, é uma das empresas atendidas pelo programa Bom Emprego. O enquadramento ocorreu em dezembro do ano passado e a empresa iniciou a produção no mês seguinte.

O contador Sandro Luiz Soto, representante da Biometrix, diz que o Bom Emprego é um programa que solidifica as empresas paranaenses. ?Se por um lado o Estado não abre mão dos recursos, por outro o programa torna-se fundamental para os seus primeiros passos?, afirma.

Soto diz também que o Bom Emprego induz um planejamento estratégico para a empresa beneficiada. ?Esperamos aumentar nossos investimentos e passar a ter um faturamento maior devido ao programa?, conclui.

Regiões

O programa envolve todas as regiões do Paraná. Quando mais pobre o município atendido, maiores são os incentivos fiscais. Até o momento, a Região Metropolitana de Curitiba (RMC) possui 40 empresas beneficiadas.

A região Norte, abrangendo cidades como Londrina e Maringá, aparece com 12 empresas. O Sudoeste, com cinco empresas. O Oeste, a região dos Campos Gerais e o Médio-Paranapanema têm cada qual duas empresas enquadradas. No Sul, Centro, Centro-Sul e Noroeste do Estado, há uma empresa selecionada em cada região.

Entre os setores e segmentos industriais das empresas beneficiadas, estão principalmente a fabricação de embalagens, remédios genéricos, alimentos, bebidas, rodas automotivas, esquadrias de alumínio, fogões, indústria têxtil, química, alimentos e telecomunicação.