As escolas brasileiras têm mais de 560 mil alunos portadores de necessidades especiais. Cerca de 34% desse total ? mais de 190 mil ? estudam em escolas regulares. Para aumentar a inclusão desses alunos em escolas regulares de ensino e melhorar a capacitação dos professores, o ministro interino da Educação, Jairo Jorge da Silva, abriu hoje (11) o 2º Seminário Nacional de Formação de Gestores e Educadores do Programa Educação Inclusiva: Direito à Diversidade.

Desde que foi lançado, em 2003, o programa formou 23 mil professores em 1.869 municípios. A meta é que todos os municípios brasileiros sejam integrados ao programa. Para isso, a secretária de Educação Especial do MEC, Cláudia Dutra, afirmou que é fundamental esclarecer alunos e professores quanto aos direitos dos portadores de necessidades especiais. "Primeiro é importante divulgar o direito, garantir o acesso de todos. Ao mesmo tempo, a formação de professores é processo essencial na transformação desses sistemas educacionais", afirmou a secretária de Educação Especial do MEC, Cláudia Dutra.

O ministro interino da Educação, Jairo Jorge da Silva destacou que o programa funciona como uma teia: os 106 municípios-pólo incluíram 1,8 mil municípios no programa. Á partir daí, a meta é que todos os municípios brasileiros participem do projeto.

"As pessoas portadoras de necessidades educacionais especiais merecem atenção do Estado. É dever do Estado não só garantir competência, mas garantir, também, a capacitação dos professores e dos gestores. Esse é o papel do Estado. Temos muito que avançar, mas já avançamos de forma significativa", diz o ministro interino.