A má prestação de serviços da Varig aos passageiros do vôo 2166, desta quinta-feira (18), resultará em processo administrativo por ato de autoridade a ser aberto pelo Procon-PR, por infração ao artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor (CDC). A informação é do coordenador Algaci Túlio, um dos 70 passageiros prejudicados pelo atraso do vôo que deveria ter decolado de Curitiba para Foz do Iguaçu às 10h35.

"Como coordenador do Procon", explicou Túlio, "alertei os passageiros, muitos de outros estados, para que exercessem sua cidadania e reclamassem da prestação inadequada do serviço, que fere o Código de Defesa do Consumidor". Conforme o CDC, o fornecedor responde pela reparação dos danos causados por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes.

"Este atraso acabou retardando os compromissos agendados no encontro de prefeitos eleitos com o Governo estadual, que se realiza em Foz do Iguaçu", disse o coordenador. Túlio informou, ainda, que o mesmo procedimento será realizado pelo Procon contra a Vasp, em razão de queixas de passageiros que retornariam de Foz do Iguaçu, após o feriado da última semana, e que tiveram que comprar novas passagens de outras companhias, uma vez que não ocorreu o vôo programado