Brasília ? O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer hoje (28) que a taxa de juros deve cair mais. Atualmente, a taxa básica de juros (Selic) está em 15,75% ao ano. "Nós conquistamos as condições para reduzir as taxas de juros e ela está acontecendo. Estamos com um olho na inflação e um olho na queda dos juros", afirmou Lula, após visitar o Feirão da Casa Própria, promovido pela Caixa Econômica Federal na capital paulista.

"Os juros vão continuar caindo. A situação econômica está sólida, o país está crescendo, o salário está aumentando, o salário mínimo aumentou. Isso é o que interessa para o povo brasileiro, ele está comprando mais, está comendo mais."

O presidente destacou ainda que o Conselho de Política Monetária (Copom), ligado ao Banco Central, já reduziu a taxa por sete vezes consecutivas. Lula negou que existam atritos entre o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o Banco Central a respeito da redução dos juros.

"Não tem que ter duas posições, tem que ter uma posição. Qual é a posição? É a do governo. O Banco Central se enquadra, o ministério da Fazenda se enquadra, eu me enquadro e todo mundo trabalha tranqüilo."

O presidente acrescentou que qualquer divergência será resolvida por ele: "Se alguém tem divergência com alguém, essa divergência será dirimida pelo presidente da República. Nem o Banco Central está lá para divergir do Guido e nem o Guido está lá para divergir com o Banco Central. Eles estão lá para trabalhar e dar resultado positivos para a sociedade brasileira".

Segundo o presidente, a responsabilidade da queda dos juros não é somente Banco Central, que persegue a meta de inflação estabelecida pelo governo na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). "O governo tem que ajudar também, o governo tem que gastar corretamente e o governo precisa ver quais setores estão exagerando no preço", afirmou.