Já é carnaval. E como este ano ele cai ainda na primeira quinzena de fevereiro, ainda vai estar muito quente e úmido. Espero que não chova. É muito triste assistir ao desfile das escolas de samba vendo aquelas senhoras maravilhosas carregando seus vestidos rodados encharcados e sambando debaixo da chuva. Para o pessoal que vem do exterior desfilar, isso não importa muito. Como eles não sabem sambar, tanto faz. Aliás, para ver alemão, americano, italiano fantasiados (geralmente quase nus), ameaçando um samba desajeitado, é melhor ficar em casa e assistir pela televisão.

Que também tem um defeito básico que vem se agravando nos últimos anos: o samba tem sido substituído pelas bundas e as baianas pelos carros repletos de starlets quase nuas. É melhor parar com essas críticas porque vocês poderão pensar que se trata apenas de saudosismo, lembranças da época anterior ao Sambódromo, coisas de velho rabugento. E o pior é que um pouco de verdade.

Mas nada contra o Sambódromo em si e muito menos contra as bundas. Apenas contra essa cafajestagem do carnaval carioca. E basta. Vamos é falar de coisa mais importante que é comer. Afinal, com chuva ou sem chuva, com ou sem escolas de samba, e com ou sem bumbuns, temos que nos alimentar. Pensei em pratos relativamente leves e nutritivos. Mas nada de regime que não é hora. Ou então aconselho um SPA, de preferência, com muitas meditações. A sopa fria de tomate é muito gostosa e o creme azedo dá o toque necessário para transformá-la num prato mais especial.

O paladar asiático – chinês, japonês, tailandês – está cada vez mais no gosto dos cariocas. Essa salada de pêra e agrião, com tendência mais para tailandesa (o amendoim é bem característico) também leva cenoura e é bastante nutritiva, além de muito plástica.

Nesta temporada temos necessidade de consumir carboidratos. Afinal, não dá para sambar sem uma boa fonte de energia. Por isso, a inclusão desse spaguetti com muitas ervas. E também porque prometi que neste ano teríamos mais massas.

O abacaxi tem estado presente na nossa página por merecimento. A safra deste ano é das melhores: doces e suculentos. Tenho até me poupado de comer doces graças a eles. Mas hoje a presença da fruta é num drinque, nada diet: o Ananás Punch, com rum, vodca, açúcar e… abacaxi! Tipo de drinque que esteve na moda nos anos 50, quando comecei a dar meus primeiros goles alcoólicos e nenhum de vocês, maravilhosos leitores, sequer tinha nascido.

Salada de pêra e agrião com tempero asiático

Ingredientes:

Para a salada: 2 pêras de tamanho médio, maduras, porém firmes; 3 xícaras de folhas de agrião, conservando os brotos com seus talos; 1 xícara de cenoura ralada. Para o tempero: 1 pedaço de gengibre fresco, descascado, de aproximadamente 2 cm de comprimento e picado grosseiramente; 2 colheres de sopa de amendoins torrados, sem a pele; 3 colheres de sopa de óleo de gergelim (sem ser torrado); 1/4 de xícara de vinagre de arroz; 1 colher de sopa cheia de açúcar; 1 colher de café de pimenta vermelha fresca picada; sal que baste. Para a apresentação: amendoim torrado sem a pele e fatias de pêra com a casca.

Maneira de fazer

1 – Tempero: ponha todos os ingredientes do tempero no copo do liquidificador, com 2 colheres de sopa de água, menos a pimenta e o sal. Deixe funcionando até ficar uma mistura mais homogênea e começar a espumar. Prove o sal e acrescente a pimenta vermelha picada, sem voltar a bater. Esse tempero poderá ser feito com antecedência e conservado tampado na geladeira.

2 – Salada: descasque as pêras, retire a parte central das sementes e corte em gomos finos, com meio centímetro de espessura. Em cada um dos quatro pratos, coloque embaixo o agrião (temperado com uma parte do molho), depois a cenoura ralada e por cima as fatias de pêra, com mais um pouco de molho.

3 – Decore com amendoins por cima e 2 ou 3 gomos de pêra com a casca em volta.

Nota: A apresentação da salada ficará mais bonita se você utilizar um aro e montar as camadas de agrião e cenoura e as fatias de pêra por cima, como numa torta.

Rendimento: 4 pessoas

Spa fria de tomate e “Sour Cream”

Ingredientes:

1 e 1/3 de tomates maduros; 1 colher de sopa de suco de limão; 1 colher de sopa de cebolinha verde picada em rodelas bem finas; 1 colher de chá de casca de limão ralada (sem atingir a parte branca); 1 colher de chá de açúcar dependendo da acidez dos tomates); uma pitada de orégano seco e de tomilho fresco ou seco, picado; sal e pimenta-do-reino que bastem; gotas de molho de pimenta Tabasco ou similar; 1 xícara de creme fresco; 1 colher de chá de suco de limão; raminhos de salsa para decorar.

Maneira de fazer

1 – Retire a pele e as sementes dos tomates. Corte em quatro pedaços e leve ao liquidificador até ficar um purê fino. Coloque numa vasilha grande.

2 – Acrescente o suco de limão, a cebolinha verde, a casca de limão ralada, o açúcar (opcional), o tomilho, o orégano, o sal e a pimenta-do-reino e o Tabasco (opcional). Deixe na geladeira por cerca de uma hora antes de ser vir.

3 – Misture o creme de leite com o suco de limão. Bata para ganhar consistência. Sirva a sopa em vasilhas individuais de louça ou vidro, colocando por cima uma boa colherada do creme azedo e um raminho de salsa.

Nota: O “Sour Cream” ou creme azedo é muito utilizado nos Estados unidos. creio que aqui não se encontra pronto para

comprar. A solução é juntar um pouco de suco de limão ao creme fresco e bater para obter uma consistência menos líquida.

Rendimento: 6 pessoas

Spaguetti com muitas ervas

Ingredientes:

2 xícaras de pão amanhecido bem esfarelado com as mãos e 3 colheres de sopa de azeite; 3 xícaras das seguintes ervas frescas picadas: salsa, manjericão, cebolinha verde, tomilho, orégano (se não encontrar fresco, utilize o seco); 3 colheres de sopa de cebola muito bem picada (de preferência da roxa); 1/3 de xícara de azeite extravirgem; 6 colheres de sopa de manteiga sem sal, apenas derretida; 500 gramas de espaguete.

Maneira de fazer

1 – Leve ao fogo uma panela com no mínimo 4 litros de água e 2 colheres de sopa cheias de sal.

2 – Numa frigideira grande, coloque as 3 colheres de sopa de azeite. leve a fogo médio e junte o pão esfarelado.

3 – Deixe cozinhar, mexendo, até ficar dourado, retire do azeite com uma escumadeira e reserve sobre papel absorvente.

Numa vasilha grande misture as ervas, a cebola picadinha, a manteiga derretida e o azeite extravirgem.

4 – Cozinhe o espaguete na água fervendo, conforme as instruções do fabricante, para ficar al dente. escorra e despeje na vasilha com as ervas, misturando bem. Tempere com sal e pimenta-do-reino as migalhas fritas do pão crocante.

Nota: Você poderá variar as ervas, juntando ou eliminando algumas. Sugestões: alecrim, hortelã e sálvia. E também poderá fazer com farelo de pão integral. Enfim, use sua imaginação.

Rendimento: 6 pessoas