O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) desaprovou ontem as contas anuais dos diretórios estaduais do Partido Republicano Progressista (PRP) e Partido Social Cristão (PSC). Por esse motivo, a quota do Fundo Partidário será suspensa por oito meses para o PRP e por seis meses para o PSC.

Segundo o julgamento, as contas dos partidos, relativas ao exercício de 2007, continham irregularidades como a não comprovação de doações e ausência de documentação que comprovasse despesas. O PRP deverá ainda devolver o valor de R$ 26.371,47, recebido sem identificação de origem, e o PSC, R$ 15.970,00. Em março, o TRE-SP também decidiu suspender temporariamente os repasses ao PCdoB e ao PSOL.