O presidente do Senado, José Sarney, voltou a defender nesta terça-feira (22) uma fórmula mista para o sistema eleitoral, que combine votos majoritários (em que o mais votado é eleito) e votos proporcionais (com base no desempenho dos partidos). Para o senador, apesar de o modelo de voto distrital ser o melhor existente atualmente, não seria possível dividir o Brasil em distritos.

“Hoje no Brasil não há como pensar em voto distrital porque não há como dividir o País em distritos se não artificialmente, e onde existem distritos há sempre uma razão histórica de consolidação desse distrito”, disse.

Sarney também se mostrou favorável ao fim da reeleição e à ampliação do mandato de prefeitos, governadores e presidente da República de quatro para cinco anos, propostas aprovadas pela Comissão de Reforma Política na quinta-feira (17) e que serão incluídas num anteprojeto de lei. “Quatro anos é realmente um mandato muito pequeno”, assinalou o presidente da Casa.