Requião (à esq.) participou da posse
de Zeca do PT no comando do Codesul.

O governador Roberto Requião defendeu ontem em Corumbá (MS), durante a posse do governador do Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, na presidência do Codesul, a união dos governadores dos quatro estados para que haja mudanças nos critérios de liberação dos recursos da Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide), o chamado “imposto sobre combustíveis”.

Os governadores reclamam que a proposta que está para ser votada no Congresso implica em perdas de receita aos estados. Essas perdas podem chegar a 20%.

Outra decisão dos governadores foi a formatação de pacotes turísticos comuns aos quatro estados. A proposta é divulgar em conjunto o turismo no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul incentivando os turistas a não restringir suas viagens a um ou outro estado, visitando, dessa forma, todos eles.

Durante o encontro com os governadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, Requião também destacou a importância do Mercosul.

“É um grande mercado que não pode mais se restringir ao eixo São Paulo-Buenos Aires”, afirmou na solenidade de posse do governador Zeca do PT (MS) na presidência do Codesul.

Segundo ele, o conselho tem papel estratégico na formulação de políticas que assegurem a integração e o desenvolvimento regional. E mencionou o intercâmbio científico e cultural que o Paraná estabeleceu com as províncias e estados argentinos e paraguaios.

Segundo ele, o governador Zeca e os demais governadores do Codesul, pela experiência e pelo papel que desempenham nas relações com os países vizinhos, vão reforçar a participação do Codesul na integração interamericana. Requião disse que a cada ano as relações comerciais no âmbito do Mercosul se estreitam e lembrou que, em recente rodada de negócios em Buenos Aires, assistiu a uma verdadeira invasão de empresários brasileiros dispostos a intensificar as trocas comerciais e, dessa forma, contribuir com o desenvolvimento regional. Zeca do PT sucede o governador Germano Rigotto, do Rio Grande do Sul, na presidência do Codesul. O mandato é alternado anualmente entre os governadores dos quatro estados e o próximo a exercê-lo é o governador Roberto Requião.