O governador Roberto Requião (PMDB) escolheu ontem a advogada Vilma Régia de Resende para o cargo de desembargadora do Tribunal de Justiça, na vaga reservada ao Quinto Constitucional, que cabe a advogados e integrantes do Ministério Público. A nova desembargadora fazia parte de uma lista tríplice definida pelo Tribunal de Justiça com base na lista de seis indicações oferecidas pelo Conselho da OAB Paraná.

A advogada pertencia à 6.ª Turma do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB, de onde se afastou para se candidatar à lista sêxtupla da entidade. Conforme a assessoria do governador, a indicação de uma mulher para o Tribunal de Justiça faz parte da promessa de Requião de aumentar a participação feminina nos espaços decisórios da administração pública. "A doutora Vilma é uma belíssima advogada militante e uma mulher de destaque. Ela reúne as duas qualidades e isso somente engrandece a Justiça paranaense".

A lista tríplice encaminhada ao governador era composta também pelos advogados Auracyr Azevedo de Moura Cordeiro e Domingos José Perfetto. A advogada escolhida é natural de Itajubá, em Minas Gerais, e formou-se pela Universidade Federal do Paraná.

Indicações

No momento, das 120 vagas de desembargadores, duas estão desocupadas. Vilma Régia de Resende ocupará, depois de nomeada por decreto do Tribunal de Justiça, a cadeira do desembargador Antônio Prado. A outra cadeira, que pertencia ao desembargador aposentado Vicente Troiano Neto, ainda não tem titular. Ontem, o órgão especial adiou o processo de indicação. Na lista de candidatos, estão mais de vinte nomes de juízes. A escolha será anunciada na próxima semana, informou a assessoria do Tribunal de Justiça.