Crianças e adolescentes especiais foram usados como isca para um ato político-partidário da coligação “Amor, Trabalho e Fé”, liderada pelo governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), candidato à reeleição.

Pais e mães dos alunos da Sociedade Educacional Juliano Varela receberam convites para assistir a uma apresentação da banda musical, composta pelos alunos da entidade, e encontraram o salão de festas coberto por cartazes de candidatos da coligação.

Decepcionados, eles protestaram logo na entrada do local, onde cabos eleitorais distribuíram “bottons” para serem colados nas camisas e adesivos dos candidatos Puccinelli e Murilo Zauith, para governador e senador da República, respectivamente. Um grupo de mães denunciou a ocorrência ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS), e o analista técnico judiciário do órgão, Ademar de Paula, registrou a denúncia para “posteriores providências”.

A presidente da entidade, Maria Lúcia Nogueira Fernandes, tentou explicar a situação afirmando que “nós preparamos alguns slides com fotos de nossas obras, e organizamos uma reunião política, mas não vejo nada de errado nisso”. Ela teria dito ao representante do TRE-MS que a instituição de ensino especial é mantida com dinheiro do Estado e do município.

Kelly Cristina da Costa, mãe de um aluno da escola, afirmou que foi “desagradavelmente surpreendida”. “Ninguém me falou que era uma reunião para campanha política”, completou. A assessoria da coligação explicou que tanto o governador quanto o seu ex vice-governador, Murilo Zauith, compareceram ao evento como pessoas comuns e não fizeram discursos políticos.