O PSOL divulgou nota nesta tarde condenando a ação impetrada pela Advocacia-Geral da União (AGU) junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para invalidar provas obtidas contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Operação Lava Jato.

O texto, assinado pelo líder da bancada na Casa, deputado Chico Alencar (RJ), alega que a iniciativa em nome da Câmara dos Deputados deveria ser tomada com consulta da Mesa Diretora e do colégio de líderes partidários. “A atitude mínima esperada seria informar na reunião das lideranças e em plenário sobre essa iniciativa – o que jamais foi feito”, reclamou o líder do PSOL.

A bancada sai em defesa da Operação Lava Jato e critica o corporativismo entre parlamentares.”Para o PSOL, a Câmara dos Deputados não tem donos e, em relação à Operação Lava Jato, tem o dever de apoiá-la integralmente – e não se utilizar de corporativismo e tentar blindar parlamentares que estejam sendo investigados”, finaliza Alencar.

O presidente da Câmara usou seu perfil no Twitter para rebater o advogado-geral da União (AGU), Luis Inácio Adams. De acordo com Adams, o peemedebista pediu a intervenção da AGU no caso do material apreendido no início de maio na Câmara. Cunha voltou a acusar o ministro de mentir e diz que não aceitará “essa falta de respeito de um advogado-geral da União”. “Ele leva 3 meses para cumprir a sua obrigação, entra com uma peça que não concordei e ainda mente. É demais”, escreveu o peemedebista.