Quintana: ?Não somos reserva
eleitoral de ninguém?.

A temporada de mudanças partidárias está aberta. Com a filiação de Valdir Rossoni (PTB), Luís Accorsi (PTB) e Nelson Garcia (PFL) ao PSDB prevista para esta semana, o PMDB, o partido que está no comando do governo, também está em pleno processo de atração de novos quadros entre os 54 deputados estaduais, visando se estruturar para as eleições municipais do próximo ano.

“O PMDB está aberto a receber filiações. Não há vetos porque não podemos ser reserva eleitoral de ninguém”, disse o chefe da Casa Civil, Caíto Quintana, que está participando das conversas com os deputados. Segundo Quintana, a estratégia é buscar quadros que dêem força e consistência ao partido, não apenas em Curitiba, mas em todo o Estado. Em geral, o PMDB tem buscado deputados com densidade eleitoral em Curitiba e Região Metropolitana. Há quase duas décadas sem conseguir eleger o prefeito de Curitiba, o maior colégio eleitoral do Estado, o partido está empenhado em voltar ao poder na capital, seja com candidatura própria ou numa aliança. Entre os primeiros deputados sondados para ingressar no PMDB estão Vanderlei Iensen (PDT), Ratinho Júnior (PSB) e Francisco Bührer (PSDB). Os três tiveram a maioria dos seus votos na eleição para a Assembléia Legislativa em Curitiba e na Região Metropolitana.

Ratinho Júnior e Bührer já descartaram o convite. O primeiro disse que seu projeto político está sendo construído no PSB. O tucano afirmou que integra a comissão provisória do partido e não tem a intenção de se desligar. Iensen não descarta a possibilidade, mas disse que não tomará nenhuma decisão até que tenha conversado com as lideranças do PDT.

O ex-prefeito de Curitiba e deputado estadual Rafael Greca desligou-se do PFL durante a semana e está buscando uma possibilidade de filiação ao PMDB. Alguns setores do partido o consideram bem-vindo, desde que não imponha condições. Greca é um postulante confesso à Prefeitura de Curitiba no próximo ano e está à procura de uma sigla que assegure a candidatura à sucessão do seu adversário, o prefeito Cássio Taniguchi (PFL). No PMDB, dificilmente haverá espaço para este projeto. O partido já tem seus nomes.

Se as primeiras conversas para aumentar a bancada estadual não deram os resultados esperados, as novas negociações envolvem outros dois deputados. O partido não revela seus nomes, mas O Estado apurou que um dos que estão na mira dos peemedebistas é o deputado Geraldo Cartário (PSC), que tem base eleitoral na Região Metropolitana de Curitiba.