Enquanto o PMDB prepara a estratégia para reaver os mandatos de três ex-integrantes do partido, o PSDB comemora as novas adesões. Uma boa parte destes novos filiados, segundo o presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni, foi conquistada justamente nas fileiras do PMDB.

O saldo das filiações tucanas foi apresentado ontem por Rossoni, que mostrou uma lista com vinte e três nomes que entraram no partido nos últimos dias para concorrer à Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa. O prazo para filiações dos candidatos às eleições do próximo ano terminou sábado passado.

Nesta lista está o deputado estadual Mauro Moraes, o vice-prefeito de Medianeira, Ricardo Endrigo. Os dois deixaram o PMDB e, junto com o vereador de Santo Antonio da Platina, Celso Schimidt, serão alvos de ações do diretório estadual do PMDB que vai acusá-los de infidelidade partidária e requisitar seus mandatos.

Schimidt foi para o PT. O deputado Nereu Moura (PMDB) classificou como “surfistas” os ex-companheiros que deixaram o partido. “Qualquer ondinha favorável já quem surfar. Eles desmoralizam a vida pública”, afirmou.

Embora o caso de Moraes já esteja tramitando na Justiça, já que ele entrou com um pedido no Tribunal Regional Eleitoral para que sua desfiliação não seja enquadrada como infidelidade partidária, Moura afirmou que o PMDB vai propor nova ação.

O assunto deve ser discutido na reunião semanal da executiva estadual marcada para amanhã, em Curitiba. “Todos esses trânsfugas precisam ser severamente punidos pelas urnas”, afirmou Moura, que defendeu também a demissão do presidente do Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná), Aldair Rizzi, que se transferiu para o PSB.

Alavanca

Já Rossoni atribuiu as novas conquistas tucanas à pré-candidatura do prefeito de Curitiba, Beto Richa, ao governo. “A pré-candidatura do Beto se tornou uma alavanca para o partido. Eu que presidia o partido em 2005 e acompanhei essa fase agora posso falar da grande diferença que foi o processo de filiações este ano”, afirmou o tucano, lembrando que, em 2006, o partido não teve candidato próprio ao governo.

Na eleição anterior, o PSDB se dividiu entre o apoio a candidatura à reeleição do governador Roberto Requião (PMDB) e a candidatura do senador Osmar Dias (PDT).

Rossoni afirmou que os novos filiados ajudaram a reforçar a competitividade das chapas de candidatos a deputado estadual e federal do partido. “Nós buscamos novas lideranças onde tínhamos carência”, disse o presidente estadual do PSDB.

Entre os novos filiados, estão ainda o senador Flávio Arns e os ex-deputados Renato Gaúcho, Eurides Moura e herdeiros de nomes conhecidos da política do Estado, como Paulo Rosenmann, filho do ex-deputado Max Rosenmann, Eduardo Pimentel Slaviero, neto do ex-governador Paulo Pimentel, e Samis da Silva, filho do deputado estadual Dobrandino da Silva.