O senador Pedro Simon (RS) afirmou ontem que o PMDB, seu partido, faz parte de um “esquema” para barrar a convocação de governadores na CPI que investiga o empresário Carlinhos Cachoeira.

Um dos três governadores com chance de serem chamados é o peemedebista Sérgio Cabral, do Rio. Os outros são o petista Agnelo Queiroz (DF) e o tucano Marconi Perillo (GO).

Simon disse que os partidos estão “se acertando” para ninguém ser convocado e que “se depender do PMDB, não vem o do Rio”. “O ideal é conseguir trazer os três e liberar totalmente as contas da [empreiteira] Delta”, disse.

O senador também afirmou que existe um “temor generalizado” no governo diante da possível abertura das contas da divisão nacional da construtora, suspeita de ligações ilegais com Cachoeira. “Abrindo as contas, muita coisa pode aparecer.”

Simon, no Senado, pediu que os “jovens das chamadas redes sociais” se mobilizem na próxima semana para pressionar a CPI a avançar nas apurações.