Pimentel: Copel está à
disposição dos parlamentares.

Os deputados estaduais que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito encarregada de investigar atos praticados na gestão passada da Copel serão recebidos hoje, às 8h, pelo presidente da empresa, Paulo Pimentel, e todos os diretores. Além de garantir aos deputados acesso a todos os documentos e contratos já solicitados, os dirigentes da concessionária estarão à disposição dos parlamentares para prestar informações e esclarecimentos adicionais.

“Queremos que os integrantes da CPI sintam-se absolutamente à vontade na Copel para que possam cumprir com desembaraço e transparência sua missão, que é de enorme interesse público e de grande responsabilidade”, adiantou Pimentel. “Todas as portas vão estar abertas para o trabalho da Comissão”, garantiu.

O presidente da Copel disse também não acreditar que as investigações da CPI possam prejudicar a imagem da Companhia. “É preciso que fique bem claro para a sociedade e para os trabalhadores da Copel, em particular, que o objetivo da CPI não é questionar a instituição em si, que é um motivo de orgulho para todos os paranaenses, mas levantar e esclarecer atos da gestão passada sobre os quais ainda pairam dúvidas”, esclareceu.

Segundo Paulo Pimentel, as investigações, na verdade, deverão ajudar a empresa. “Para poder voltar a crescer rapidamente, como querem o governador Roberto Requião e toda a população, é necessário libertar a Copel das interrogações que ainda envolvem alguns atos praticados no passado. Esclarecidas essas questões, vamos poder nos concentrar exclusivamente na tarefa de fazer da Copel uma empresa cada dia mais forte, maior, mais solidária e absolutamente transparente”.

Entre os temas a serem investigados estão os contratos firmados entre a Copel e a Sercomtel; os contratos feitos pelas subsidiárias; a compra e venda de energia e os precatórios e acordos realizados nos últimos entre a empresa e seus sócios ou parceiros. “Sem dúvida alguma juntar e analisar todo o material disponível será difícil, mas com planejamento e a ajuda que iremos receber de funcionários e pessoas ligadas à empresa conseguiremos dar uma resposta à sociedade sobre o que aconteceu com o dinheiro investido na estatal”, afirmou Isfer.

A CPI da Copel é presidida pelo deputado Marcos Isfer, tendo como relator o deputado Ratinho Júnior. Quatro sub-relatorias foram criadas para agilizar os trabalhos e estão a cargo dos deputados Alexandre Curi, Luiz Accorsi, Tadeu Veneri e Vanderlei Iensen.