O Conselho de Administração da ParanaPrevidência aprovou a nova política de investimentos da instituição, a ser aplicada neste ano. As novas diretrizes visam a adequação à Resolução n.º 3922/2010, do Conselho Monetário Nacional, publicada em 25 de novembro do ano passado, e que altera o direcionamento dos investimentos para os regimes próprios de previdência. As principais mudanças são a abertura para bancos privados e a aplicação de recursos em fundos de investimentos em renda variável.

Isso significa que a ParanaPrevidência pode comprar cotas de fundos de investimentos em renda fixa e renda variável, administradas por bancos privados, e não apenas por bancos administrados pelo poder público como acontecia até hoje. “Para trabalhar conosco os bancos privados participarão de processo de credenciamento e comprovação de sua capacidade e competência na administração dos fundos dos quais nós iremos participar como cotistas”, disse o diretor de finanças e patrimônio da ParanaPrevidência, Luiz Tadeu Garbi da Silva.

A resolução do Conselho Monetário Nacional permite que os regimes próprios de previdência façam investimentos de até 30% dos seus recursos em aplicações em fundos de renda variável. O Conselho de Administração da ParanaPrevidência decidiu que as aplicações da instituição nestes fundos ficarão restritas a 15% dos recursos.

“Esta opção reflete a postura conservadora e precavida da instituição que está preocupada com a rentabilidade de seus investimentos e com a garantia de retorno, uma vez que estamos investindo os recursos dos servidores do estado do Paraná e que serão no futuro a garantia de suas aposentadorias e de uma velhice tranquila”, afirmou o diretor-presidente da instituição, Jayme de Azevedo Lima.

Consultoria


Outra novidade na política de investimentos é a contratação via processo licitatório de uma consultoria financeira, que irá auxiliar na aplicação desta política, a partir do acompanhamento e suporte aos investimentos, análise dos fundos de investimentos, assessoramento nas decisões de investimento a médio e longo prazo (planejamento estratégico).