O líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), encaminhou hoje requerimento à Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) para ouvir o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, sobre “fatos novos” ligando-o a denúncias de ONGs atendidas pela Pasta. Dias se refere à reportagem da revista Veja de que Lupi teria viajado ao Maranhão, em dezembro de 2009, num avião alugado por Adair Meira, dirigente da Pró-Cerrado, que está sendo investigada pela Controladoria-Geral da União (CGU) por suspeita de desvio de recursos.

O líder lembrou que Lupi negou ter relações com o empresário quando falou na semana passada na audiência pública da Câmara. “São denúncias da maior gravidade”, constatou. “O que pretendemos é tentar ampliar a capacidade de indignação da população brasileira, oferecendo a ela a oportunidade de conhecer melhor os detalhes das falcatruas que são denunciadas pela imprensa do País”.

Na semana passada, o PSDB, por intermédio do senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), pediu ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que investigue as denúncias relacionadas ao Ministério do Trabalho. Para o líder tucano, o que mais espanta a população do País é a impunidade, sobretudo no que diz respeito aos recursos públicos “que se vão e não voltam”. “Não há ressarcimento, mesmo quando há comprovação do ilícito praticado”, constatou.

Ele anunciou da tribuna que vai sugerir a seu colega da Câmara, o líder Duarte Nogueira (SP), que requeira à Mesa Diretora daquela Casa a instauração de procedimentos que definam crime de responsabilidade o fato de Carlos Lupi ter mentido aos deputados.

Já o senador Aloysio Nunes defendeu no plenário que a presidente Dilma, “que é uma pessoa correta”, aproveite a ocasião para dar uma profunda guinada no seu governo, demitindo Carlos Lupi. O senador disse não ter dúvidas de que o ministro do Trabalho “está nos últimos dias da sua passagem pelo governo”.