O chefe da Casa Civil do governo Beto Richa (PSDB), Eduardo Sciarra (PSD), afirmou ontem, ao sair da primeira reunião do secretariado do novo governo, que a atual gestão poderá tomar novas medidas de contenção de gastos em breve.

De acordo com Sciarra, será necessário fazer “ajustes na folha de pagamentos”. Embora o secretário não tenha detalhado as medidas, afirmou que isso poderá incluir cortes de gratificações pagas a servidores, revisão de contrato de temporários e redução na contratação de comissionados. As medidas, segundo Sciarra, poderão ser enviadas em breve para aprovação na Assembleia Legislativa.

O segundo governo de Beto Richa, iniciado neste mês, está sendo marcado por várias medidas de corte de gastos para resolver os problemas de caixa do Executivo. Desde que venceu as eleições, em outubro passado, Richa mandou vários projetos de austeridade para a Assembleia, que foram chamadas de “pacote de maldades”.

Entre as medidas já em vigor estão a taxação de aposentados do Paraná Previdência, o aumento do IPVA e novas regras para aumentar a arrecadação do ICMS. As regras foram planejadas pelo novo secretário da Fazenda, Mauro Ricardo da Costa, conhecido pelo perfil austero.
Segundo Sciarra, os secretários também estão “segurando” contratação de comissionados, mantendo apenas o número mínimo necessário para funcionamento da máquina pública.

Na reunião de ontem, os integrantes do primeiro escalão ouviram sobre a situação financeira do estado e sobre os cortes de custeio que serão necessários pelo momento. O governador Beto Richa não falou com a
imprensa.